Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

terça-feira, 6 de março de 2018

Quando a Poesia se Cala


Quando a Poesia se Cala

     Quando eu me ausento de poesia, recorro aos meus textos preferidos, bem guardados e manuscritos, aos quais, eu me atrevo a copiar e a dialogar.
     Gosto de me encontrar com esses textos de vez em quando e, conforme, costumo dizer, escreva e deixe o texto para que possam ser lidos em oportunidades eventuais, pontuais ou por liberdade de pensamento, para libertar-se das próprias ideias, que às vezes, não dizem tão bem aquilo que um texto pronto pode trazer à luz.
     Vamos à cópia:
     "Eu gosto de levar sempre flores...mas este ano não; de repente me deu uma vontade danada de escrever algo sobre a nossa família que, deixando a modéstia de lado, ...exemplos.
     ...a casa tornou-se um castelo, carinho, amor, ensinamentos, tudo foi feito com muita alegria...a nós foi dado um alicerce tão forte, tão inquebrantável, que até hoje e, pleno séc. XXI (vinte e um) nada nos assusta, pelo contrário: acompanhamos a evolução que houve em todas as direções.
     ...as saudades são...grandes...mas o presente é o mesmo, continua nesta mesma meta: amor, carinho e compreensão..."
     Não houveram flores ou buquês e gentilezas, mas um texto que representa a imortalidade do ser através de um pensamento deixado ao tempo.
     A casa torna-se um castelo quando vivenciada com carinho, amor, e ensinamentos. Não importa o tamanho da casa, o bairro, ou as comodidades, os móveis e os enfeites, sejam eles quadros ou cristais. Essa construção é a que não se desmancha, as de tijolos, areia e cimento, o tempo corrói e o também o desamor a destrói.
     Tudo está em evolução, mas o que deve evoluir de fato, são os talentos do espírito Santo, por natureza humana.
     Quanto às saudades, devemos aprender a fazer delas algo bom, desde que conservada a meta primeira da vida que é o amor, o carinho e a compreensão no presente momento da sua própria vida. É bom ressaltar ao leitor que foi amado antes de nascer. Essa é uma certeza que cada pessoa deve considerar na sua existência.
     Diante dessas palavras, a poesia se cala para que a alma se alimente da sua essência divina que é feita de amor.

Ps. o texto acima não é meu, mas é um diálogo à posteriori que me faz bem. Algo de casa.
       

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Um texto soberbo que nos envaidece no quesito "amor em família"! Isso é o que vale e muito!
Abraço.