Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

O Problema das Meias / Crônica do Cotidiano


O Problema das Meias / Crônica do Cotidiano

     Começarei pela parte que me cabe, antes de raciocinar sobre a desclassificação na Copoa do Mundo, que, para espanto meu, o povo continua assistindo e torcendo.
     Certa vez fui a uma palestra literária com meias 3/4 de nylon novas para acompanhar os sapatos que queria usar. As meias curtas, sob a vestimenta clássica de calças e blusa não mostrariam as meias.
     As meias, ao serem compradas eram de um nylon macio, embora bem tenha observado que estavam sendo vendidas em dúzia. O preço era irrisório e eu comprei .
     Começa a palestra e eu estava na fila do gargarejo, ou seja, a primeira fila.
     Entrevistador e entrevistado começam a palestra e, dez minutos depois do começo, o elástico frouxo das meias estavam sobre o peito dos pés e aparecendo o acabamento, algo realmente ridículo para uma fila de gargarejo.
     Com jeito, ergui as meias para as "batatas das pernas" sem me constranger.
     Passados mais dez minutos e, as meias vieram abaixo novamente. Ergui novamente e, digo que por hora e meia, fiquei deveras constrangida. Não prestei atenção à palestra e não consegui deixar as meias nos lugares corretos, ou seja, as batatas das pernas.
     Hoje, comentando sobre futebol com uma senhora cujo marido ficou muito nervoso com a partida de futebol, eu disse que esperava o resultado perdido.
     _Como é que a senhora espera a derrota enquanto todo mundo torcia, indagava contrariada.
     A resposta foi certeira. Perguntei a ela se ela observou o jogador sair de campo para arrumar as meias e ela disse que sim e que nem parecia o mesmo jogador de futebol para o qual toda a família era admiradora.
     Contei a minha história com as meias e, que percebia agora que o melhor mesmo era ter saído da palestra e ter vindo embora, com gerúndio ou sem gerúndio.
     Até que a expressão dela nessa hora foi engraçada.
     Disse que o jogador deveria ser retirado de campo por dez minutos para se ajeitar com as meias ou trocá-las, se fosse o caso. Perdeu toda a concentração em consequência das meias naquela saída para fora de campo e que sentiu um provável desconforto pela arrumação rápida, que ninguém sabe até agora se ficou boa.
     Parece tolice, mas tira o foco da atenção.
     Agora, essa de descobrir que o povo está ptonto para assistir o jogo Croácia X França é que surpreende porque mostra que o espírito esportivo está em boa forma.
     O espírito esportivo é uma boa notícia, depois daquelas meias.
         

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Achamos a causa da nossa derrota! "As meias"!! rsrs...
Agora, eu também estou firme acompanhando os jogos e torço pela Croácia! Que "as meias" permitam...
Abraço.

PAULO TAMBURRO. disse...


Você e suas meias,ora pois, pois!
Achei incrível e muito intimista a narrativa.
Beijo.
Abração carioca.