Loading...
Loading...

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Por Favor


Por Favor

Um absurdo dito,
Se faz sentido,
Expressa a dor.

Mas comovido,
Vai ao infinito;
Diz por favor.

É um requisito

Confortador.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

O Jogo do Copo / Conto de Horror

O Jogo do Copo

     Um grupo de senhoras idosas se reuniu e, como parte da tarde festiva, organizava-se brincadeiras diversas para que, além dos doces e salgados, as senhoras dessem boas risadas.
     Filomena, uma das senhoras, disse que ela gostaria de fazer a brincadeira do copo, aquela brincadeira em que todos os presentes seguram o copo para ver se acontece algo fantástico, ou seja, uma frase, alguém que receba espíritos e possa assustar os presentes. Filomena gostava de brincar de susto e naquela roda de amigas, gostava-se de um farto lanche, versos, canções e contar das suas próprias vidas.
     Dora, outra das senhoras presentes, disse que não gostava da brincadeira do copo, mas que as outras, se quisessem, que participassem do jogo.
     Filomena perguntou o que Dora iria fazer enquanto as outras jogassem e Dora disse que ficaria exatamente ali, ao lado de um prato de salgadinhos e doces, tomando conta deles para que não sumissem todos.
     Numa mesa redonda o copo foi colocado e todas as mulheres fecharam os olhos e seguraram o copo com as mãos sobrepostas.
     Filomena entrou em transe e as perguntas ao suposto espírito começaram.
     Filomena, em transe,com a voz afetada, disse:
     _Eu preciso que contem a minha história.
     As mulheres perguntaram qual era o nome pelo que o espírito se chamava quando estava vivo.
     _Elizabeth Junqueira.
     Dora, que observava do sofá, com um salgadinho nas mãos disse que aquele jogo era uma estupidez e sempre acabava mal.
     As senhoras olhavam assustadas umas às outras e concordavam com Dora.
     Dora continuou a reclamar:
     _Essa tarde que era para ser agradável, agora será para lembrarmos da moça que morreu aos vinte e dois anos, em um ano, com uma gripe que virou pneumonia.
     A partir do comentário as outras senhoras se manifestaram e começaram a dizer o que sabiam de Elizabeth Junqueira.
     _Jovem e séria, teve um único namorado e com ele se casou.
     A roda começou e vieram outros assuntos sobre a moça, com breves relatos sobre ela.
     _As moças do colégio onde ela estudou, sabendo que ela não gostava de visitas, mandaram uma pessoa na casa dela para visitá-la com as perguntas encomendadas no colégio e esquadrinharam a residência e souberam que ela estava feliz.
     _Por isso mesmo esperavam os dias de cansaço e a apanhavam de surpresa. Eram moças que levavam convites de aniversário e tinham muita pressa e a visitavam fora do horário de visitas.
     _Parece que as moças viram a cama por fazer e a louça do jantar ainda na pia.
     _A cidade inteira começou a chamar a Elizabeth de "porca".
     _Ela não está sendo mal educada. A grosseria contra a moça corria na cidade inteira. A Amelinha, na escola, ouviu um grupo de pessoas dizendo que ela era relaxada. Foi perguntada se a conhecia e ela disse que sim, mas que era moça mais velha e que não era amiga de visitar.
     _Dizem que ela ficou anoréxica. Parece que o marido gostava de sentir os ossos do ilíaco quando a abraçava, e para satisfazer o marido, ela ficou sem barriga.
     _Era professora, mas com esses comentários nenhuma escola a queria.
     _Eu bem que quis visitá-la quando ela ficou doente, mas disseram que tudo que eu iria presenciar era vômito. No mais disseram que ela estava pálida e cansada. Obedeci porque não quis incomodar a moça.
     _Essa história é esquisita porque ela não contrariava os interesses de ninguém, nem a favor nem contra.
     _Ela não era o que chamam de pessoa articulada, politizada ou engajada. Ela era uma moça comum, bem criada e educada.
     _O que terá sido aquilo de toda a cidade falar mal da moça?
     _Um dia eu fiquei zangada com o falatório e mandei que cada um tomasse conta da própria vida. Não adiantou nada, mas que eu falei, falei.
     _Será que ela soube o que diziam dela?
     _Isso é coisa que não se sabe.
     _Barbaridade: porca, relaxada e preguiçosa com apenas vinte e dois anos de idade.
     _Quase ninguém foi ao enterro dela, eu também não fui avisada.
     _Disseram que era morte esperada e que, embora triste, ninguém ficou surpreso.
     _Vinte e dois anos de idade e a cidade dava como certo o fim dela, mas com pneumonia?
     Dora concluiu:
     _Acho que foi disso que ela morreu.
     Filomena sentiu-se aborrecida por ter estragado a tarde com as amigas e disse:
     _Eu também acho que foi disso que a Elizabeth morreu.
     Dora olhou para a Filomena e pediu que entrassem em orações e pedissem desculpas pelo jogo do copo.
     Todas as senhoras começaram a orar.
      

terça-feira, 25 de abril de 2017

Que Deus Cuida de Nós


Que Deus Cuida de Nós

Minh'alma está antiga,
Com muita paciência,
Sem reserva e anuência
Musicada e amiga

Da velha cantiga,
Uma preferência
Vinda da inferência
Sabida, a que obriga

O saber da liga
Em tom de obediência
A alguma experiência;
Que Deus me bendiga.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Abstração


Abstração

Poema é qualquer cousa
Que se mexe no ar,
Faz vibrar a lousa
Numa ideia a vagar

No instante em que pousa
Com alma e lugar,
Abstraindo a quem se ousa
Nele caminhar.

domingo, 23 de abril de 2017

Organograma


Deus

                                                                              Você

                                                                         Casa   Igreja
                       
                                                            Princípios            Fé

                                  Convivência em Sociedade e Organização Social

     Pergunta-se: de que adianta um organograma se, encontra-se em meio à humanidade meia dúzia de, perdoem-me a palavra "psicopatas"  que pensam serem os donos do mundo.
     Sim, porque a humanidade encontra-se estarrecida com o que está acontecendo e, o problema, é que esses "donos do mundo" somente aceitam seguidores e bajuladores.
     Os demais calam a boca; é uma questão de prudência.
     Assiste-se ao seguinte cardápio, bem bolado por sinal, como se fosse um organograma:

       a)ARROZ     FEIJOADA     LASANHA     COUVE COM TOUCINHO
     
       b)ARROZ     FEIJÃO     RISOTO DE BRÓCOLIS     BATATA ASSADA COM QUEIJO

     Os donos do mundo e os seus seguidores e bajuladores estão comendo o cardápio da opção "a".

     Os normais e demais estão comendo o cardápio da opção "b".

     Se é uma opção, é uma escolha.
     
     É preciso dizer que não tarda e a humanidade se verá em apuros?

     Enquanto passamos bem com o risoto de brócolis e as batatas assadas com queijo, ou, de outra maneira, arros, feijão e batatas com queijo, há quem garanta que o feijão não é bom sem a carne de porco e a couve não se engole sem o toucinho. Por outro lado, dizem que a lasanha exige um presunto e o arroz com cheiro verde elimina todos os males da alimentação.
     Diga-se que o organograma do cardápio alimentar é melhor aceito do que o organograma conservador, que está no início da postagem.
     A inteligência, por sua vez, serve as duas opções, pendendo para o lado dela mesma. Nenhuma inteligência se arrisca a ser emotiva. Mas respeita as escolhas de cada um, e, ao respeitar as escolhas de cada um não admite imposições de parte a parte.
     Observando esse quadro, percebe-se que as negociações serão necessárias.
     O texto é simbólico e sem conotações físicas, atentem para esta frase que acompanha a postagem. 
         

        

sábado, 22 de abril de 2017

Devaneio


Devaneio


Um brilho perolado
Surge nesse lugar
Sentimentalizado
De suave bem-estar.

Esse dia a dia agitado,
Que não para a pensar
Sobre o supracitado
Que a vida está a observar.

Nesse tom recém-criado
Constante a iluminar,
A esperança está ao lado,
Mas está a devanear.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Foco

Foco


Entre um foco e uma ideia fixa,
Esmalte de unhas e lixa,
Estão o objetivo e a vaidade
E muita sinceridade.


Enquanto a ideia se subfixa,
O foco é a pauta e capricha
À próxima agilidade,
Consubstancial qualidade


Não se consiste prolixa
Nem quando ao ciniismo picha,
Mas pretende a novidade
  Com originalidade.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Viandante


Viandante

Sempre em frente,
Segue contente
O caminhante,

Que, estranhamente,
Gosta de gente
E pensa adiante.

Eventualmente

Contrastante.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Nova Interação Midiática


Nova Interação Midiática

     Anos a fio acessei o Twitter para saber resumidamente das notícias, mas hoje o Twitter foi embora.
     Numa atualização do sistema android, o aplicativo originário de fábrica foi retirado, sem mais e porque.
     O fato é que a mídia está mudando e, as atualizações valem para todos.
     Uma moça do jornal local havia ligado para explicar sobre o produto no qual ela se ambienta e vender o seu produto denominado "jornal".
     Penso que não é difícil de compartilhar com vocês, porque algumas das reformulações são comuns a todos os jornais.
     Os jornais publicam as matérias que vendem e/ou chamam a atenção do leitor e, para saber quais são as matérias que o leitor gosta de ler, usa filtros que mostram a localização do leitor e a matéria mais acessada.
     Não leiam o que vocês não gostam de ler.
     Os jornais, em sua maioria, oferecem algumas matérias gratuitas e outras matérias, a partir do momento em que o leitor se torne um assinante do referido jornal.
     Ficarei sem o Twitter, por opção própria, pois ele pode ser baixado pela loja do Google. Enfim, se o Twitter foi retirado do sistema é porque o sistema android encontrou dificuldades operacionais no aplicativo.
     É possível acessar a página inicial dos principais jornais do país e, se algo interessar, pode-se ler o jornal durante o mês acessando os conteúdos interessantes, sem perder de vista o número de matérias livres para acesso.
     Se a mídia está se transformando, esse é o momento ideal para que o leitor se adapte a essas mudanças.
     

terça-feira, 18 de abril de 2017

Goiaba


Goiaba


Pensamento disperso,
Faz do dia que se acaba,
Alguma prosa em verso,


Pois o poema é universo
Que para e não desaba
E faz caminho inverso


Num singelo reverso


Muito simples; é goiaba.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Sextavado


Sextavado

No meu quadrado,
Onde eu me enquadro,
Sei do que sei,
Mais que pensei.

O complicado
É fora ao esquadro,
Porque não sei;
Justaporei.

Arredondado
É o mundo dado,
Mas não cotei
Onde estarei.

domingo, 16 de abril de 2017

Poema Construtivo

Poema Construtivo


O lugar ideal,
Cidade perfeita,
De grão-de-areia é feita,

E flor e quintal
Que até a chuva enfeita,
Pois a água se ajeita

Ao cair no beiral

Onde o passeio estreita.

sábado, 15 de abril de 2017

Páscoa


Páscoa

Ele mudou a terra
Sem fazer a guerra
E amou a humanidade.

Morto, não se encerra,
Mas se desenterra
Com graciosidade

E a luz se descerra;

Bendita é a trindade.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Aleluia


Aleluia

Um coração de criança,
Gosto de chocolate,
E salva é essa esperança,

Do Espírito em bonança
Enviado por bondade
À sua semelhança.

A bem-aventurança

Em Jesus: realidade.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

A Cruz


A Cruz

Verbalizada,
É nessa cruz,
Que a eterna luz,

Também vos fala
E vos é luz;
P'ra sempre a cruz

Que é libertada

Ao ter Jesus.


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Acabaram-se as perguntas?

Acabaram-se as perguntas?

     A conversa que me deu oportunidade para dizer de mim mesma, se, por um lado, é pesada, por outro lado é útil.
     É difícil lidar com tanto desconhecimento, mas eu fico muito tempo ocupada em livros e música e não converso.
     Eu resmungo comigo mesmo sobre como é que não percebem um pouco de mim.
     O que eu gostaria de perguntar é quem é que faz esse perfil de mim mesma que não sou eu. Ah, me desculpem, mas tem quem faça. Isso é o que nós, cristãos, chamamos de "o inimigo", ou seja, quem gosta de fazer confusão é o demõnio.
     Um mínimo de esclarecimento esse povo merece, porque eu não desmereço nenhum tipo de música, porque há gostos e ouvidos para todas as músicas, mas eu prefiro as clássicas. Onde foi que concluíram o tipo de música popular da qual eu gosto? Não sei, depende do dia, eu tenho cds e Youtube e, ainda ontem ouvia Michael Bublê pela internet. Ontem o meu espírito estava para Michael Bublê.
     Vocês querem saber como é que "o inimigo" faz, vamos à pergunta exemplar:
     _O Michael Bublê faz com que você se lembre de algo especial? Hã, hã, hã?!
     Por enquanto não, mas a esperança é a última que morre. Essa seria a resposta adequada, mas eu sou polida e sei que a gente deve ficar longe das más respostas e fico somente no:não.
     Outro exemplo do "inimigo:
     Cento e cinquenta pessoas vem contar de máfia.
     Como é que alguém que fica entre livros e discos e partituras, supermercado e, de vez em quando, na cozinha, pode dizer alguma coisa.
     Se nós pensarmos em acordo com "o inimigo", vamos julgar essas cento e cinquenta pessoas e dizer que elas são a máfia, pois são elas que vêm atrapalhar a leitura e o estudo.
     Outro artifício do inimigo é garantir que você é o que você não é: analfabeta.  Como é que se tem um blog sem que haja alguma leitura? Faltaria assunto.
     Agora, sim, a resposta, com o melhor controle emocional possível:
     _Eu leio pra me defender das patadas. A gente leva cada patada que é preciso saber se escorar.
     Desse jeito não hão de me conhecer porque não querem me conhecer.
     E eu sinto muito não os agradar por não ser analfabeta, não ser discricionária em termos musicais (música é experiência, sentido e percepção sob o meu ponto de vista).
     Ninguém tem que agradar "o inimigo", pois a inverdade é própria do inimigo, pois se eu tivesse esse perfil, por certo eu o diria, mas, infelizmente, a resposta que tenho é que essa não sou eu.
     Que sejam felizes e que procurem as pessoas que querem encontrar, mas não me saberão.
     E isso não é bom e eu preciso estar em oração.  

terça-feira, 11 de abril de 2017

RESPONSABILIDADE SOCIAL / UTILIDADE PÚBLICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL



     O Asilo de Idosos Boa Esperança, diz que tem boa alimentação e hospedagem, mas pedem para que grupos de senhoras os visitem, pois a solidão de quem vive sem família é imensa.
     Um dos moradores do asilo passou nas lojas vendendo pássaros artesanais feitos em madeira. Comprei um passarinho e me senti na obrigação de pedir aos grupos de caridade que os visitem e façam alguns dos seus dias mais agradáveis.
     O Asilo fica em frente ao quartel da Polícia Militar, à avenida Pres. Getúlio Vargas, em Curitiba.
     O senhor idoso pede para que quem queira visitá-los, que entre em contato com a assistente social responsável pelas visitas e solicitem a permissão.
     A postagem de hoje é este apelo aos grupos de caridade.
     Responsabilidade Social é ser humana. 

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Senha


Senha

Existia a palavra
E eu a desconhecia;
Tão simples lavrava
E não a descobria.

A palavra encrava
Feito uma magia
E se torna trava;
Pavlov a diria.

O tempo não a agrava
Repetida ao dia,
Congestiona a via
Com psicologia.


domingo, 9 de abril de 2017

Para Ser Feliz

Para Ser Feliz / Reflexão

     Para ser feliz é preciso que você ria imitando os personagens de Vila Sésamo junto aos seus familiares.
     Para ser feliz é olhar alguns defeitos do próximo como suas especiais particularidades e saber que são os defeitos, as manias, as frases feitas que fazem de cada qual um ser especial.
     Para ser feliz é preciso agradecer o que tiver no prato para comer e rir do molho de pimenta acompanhado por uma limonada adoçada artificialmente.
     Para ser feliz é preciso não interferir nos erros das pessoas, mas sim, impedir e combater o crime, que é um fator que impede a liberdade do cidadão.
     Para ser feliz é preciso pensar que é possível e que você vai conseguir superar as suas dificuldades.
     Para ser feliz é preciso ir ao supermercado e estar no meio de muita gente e não ser ninguém, apenas mais um consumidor.
     Para ser feliz é necessário não sentir vergonha de auxiliar o próximo, é incrível como existem inibições para realizar o bem.
     Para ser feliz é preciso dar asas à imaginação e planejar coisas lindas e idealizá-las como se fossem possíveis, porque, na realidade, são.
     Para ser feliz é acreditar que ninguém nasceu para ser triste, nem mesmo você.
     Para ser feliz é preciso acreditar num Deus bom e misericordioso, pois ele pode, se você aceitar, fazer com que você acredite em tudo o que está escrito  nesse post.
     Um domingo abençoado para todos vocês!

sábado, 8 de abril de 2017

Estudo

Estudo

O estudo
Diz tudo,
Paciência.

É mudo,
Contudo;
Consciência

Que iludo:
Cadência.




sexta-feira, 7 de abril de 2017

Poema Triste


Poema Triste

O que as pessoas querem,
Ou, aonde chegarão,
Sem que nada esperem,
Feito um turbilhão

De ideias; e prosseguem
Sem alegria e vão,
Sem que se moderem,
Até à compaixão.

É triste que enverguem
Ao destino "cão"
E, que assim, não enxerguem
Um café com pão.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Motivos


Motivos

Dias cansativos
São crescimento,
Novos vestidos,

Decorativos
À chuva e ao vento,
E, ainda, incentivos.

São esses motivos,
Conhecimento.


quarta-feira, 5 de abril de 2017

Linha de Caderno


Linha de Caderno

Caderno é papel
Com tinta e pincel
E história não lida;
Página vivida.

Não conta do céu,
Linha e carretel
Em caligrafia
De ideia acontecida,

Mas poema é escarcéu
Que diz carrossel
Com ponto e partida
Na letra que avia.


terça-feira, 4 de abril de 2017

Bendição


Bendição

Meio feliz,
Aprendiz
De humildade,

Não desdiz
Da saudade
Que se quis,

Mas bendiz,

E se evade.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Letra de Fado


Letra de Fado

A palavra tem rosto,
Mas, e quem quer calar,
Da feição, algum desgosto,
Precisa comentar?

O argumento entreposto
É belo, se cantar,
Um fado, um tango, um gosto;
Nada mais a acrescentar.

Não é triste o que é suposto
E há tudo a sublimar.
O pronome, se aposto,
Faz o céu se anunciar.

domingo, 2 de abril de 2017

Seguiu por ali, Volta para aqui


Seguiu por ali, Volta para aqui

     
     Fiz caminho novo
     Sem que fosse novo;
     Eu desconhecia

     Imprevisto bolo
     Que não leva um ovo,
     Eu transitaria.

     E me locomovo,

     Com ou sem poesia. 

sábado, 1 de abril de 2017

Louvação


Louvação

Louvação é a atitude,
Sonora é a canção
D'alma em quietude.

A essa plenitude
Que leva à oração,
O espírito alude

O que é a redenção
Sem ser amiúde.