Lugares Bonitos

Lugares Bonitos

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Lua Nova

Lua Nova

Continua
Minha lua
De aprender.

Essa rua
Que pontua
Sem se ver

É a cultura

A nascer.










domingo, 15 de outubro de 2017

Mulheres Brasileiras de 1922



Mulheres Brasileiras de 1922



     Começou o horário de verão e é melhor adaptar-se ao horário. Das muitas histórias para contar, estão as memórias longínquas da infância. Os muitos domingos com visitas às casas das tias da mamãe e às casas das tias do papai.
     Geração de 1922. Eu jamais teria a noção de quanta importância essas pessoas teriam na minha vida.
      _"Conversa de adulto criança não se mete."
     Com a recomendação feita antes de sair de casa, além daquela de não comer mais do que duas fatias de bolo, íamos às visitas.
     Eles, nem pai e nem mãe, não perceberam que todos os tios tinham carinho por eles porque perderam pai e mãe enquanto eram jovens adultos.
     "_Que triste! As crianças não têm avós."
     Tivemos mais avós do que a maioria das crianças têm.
     "_Criança não esquece". Falemos tudo que possamos.
     Deseducaram com muito amor.
     _O seu pai está errado, ele e a sua mãe gostam de tangos e boleros. Tangos e boleros dizem em resumo: "quiero que tu sufras, sufras e sufras. Coloca no gramofone um disco da Chiquinha Gonzaga. Vamos educar essas crianças.
     Era de enlouquecer de alegria qualquer criança. O gramofone tinha que dar corda feito relógio de corda. O chiado do disco era incrível. Ensinaram-nos a dar corda no gramofone e colocar os ouvidos perto do tubo por onde saía o som. O chiado do disco era grande, mas a música, audível.
     Outras "tias":
     _As mulheres têm que saber que podem ser solteiras, que podem se casar apenas se quiserem e realmente gostarem dos seus maridos. Se souberem disso. como nós sabemos, terão a chance de ver isso que estamos vendo agora: uma família de fato.
     Por essa eles não esperavam. Ficaram sem resposta e boquiabertos.
     _Por outro lado, vocês têm que saber que algumas pessoas precisam de dinheiro e posição social para serem respeitados em sociedade. Não falamos de santo algum, mas ele tem duas opções: ou ser rico ou ser ridículo. Por ser da nossa família, é melhor que seja rico.
     Um chá e alguns biscoitos e grandes reflexões, depois, em casa.
     Uma figura melhor que a outra, todas cultas.
     Uma outra, incompreendida. Amava as terras e mantinha sozinha uma chácara, apesar de ser professora normalista. Todos os finais de semana eram sábados e domingos de chácara. Na chácara morava um casal, eram os caseiros que tomavam conta da pequena criação de animais e domavam alguns cavalos chucros, ainda por serem domados.
     Todos se incomodavam com essa atitude: 
     "_Sozinha, num lugar sem luz elétrica, com animais chucros e um casal de desconhecidos."
     O gênio dela era fantástico e a resposta pronta:
     _Eu não empresto o carro de ninguém. Sou professora e tenho chácara e não tenho dinheiro para comprar automóvel. O meu dinheiro é para manter a chácara.
     A encrenca foi tanta que, por fim, a minha mãe a apoiou, afinal a tia era do marido.
     Ela, agradecida pelo apoio, convidou a minha mãe para ir à chácara com ela, para isso poderia levar as crianças.
     Nós, na hora, dissemos para que a mãe fosse com ela. Oba!
     Era dia de semana e cedo. Ela levou nas sacolas algumas galinhas e um porquinho novo para ser reprodutor.
     Sentimos muito, mas ela transgrediu as normas do ônibus. Era proibido levar animais vivos dentro do ônibus.
     No meio do caminho, o motorista disse que estava ouvindo barulho de animais e que se alguém tivesse com animais à bordo teria que descer. A minha mãe ficou pálida e olhou para ela.
     Ela, acostumada com alguns transtornos causados pelos animais, não teve dúvidas, olhou para o motorista e disse:
     _Senhor motorista. Eu estou aqui com a minha sobrinha e os filhos dela. Os coitadinhos não sabem o que é uma chácara. Eu tenho uma chácara e estou levando as crianças para passarem o dia convivendo com a natureza. Para que eles não se assustem quando chegarem lá, eu os ensino como é que os bichos são. O senhor me perdoe, mas eu tenho que fazer isso para poder ter um dia agradável.
      Ah..;.
     O motorista deu um ar de riso esperto e disse para não exagerar no barulho.
     _Crianças, deem milho para as galinhas que elas param de cacarejar. É a pipoca delas. Joguem o milho dentro da sacola e tomem cuidado para não levarem bicadas.
     As galinhas ficaram quietas. "Óinc", o porquinho reclamou a falta de comida.
     Outro tio:
     _A sua educação foi muito severa. O carnaval é uma distração, sabendo brincar, é só diversão. Quem não presta, não presta. Mas quem sabe se comportar, não se incomoda nunca. Também, se se incomodar, volta pra casa que no dia seguinte tem mais. É bom saber se divertir.
     Esse acompanhou o casal até o fim dos seus dias.
     Certa vez, eles deram uma festa, mas convidaram somente os parentes mais chegados. Esse tio, embora fosse frequentador da casa, não foi convidado porque para convidar um e não convidar outro, seria magoar gente que eles queriam bem. A festa das Bodas de Prata foi só para os irmãos deles.
     No meio da festa, toca a campainha. Eram o tio e a esposa dele.
     Eles ficaram tristes e se justificaram por não os terem convidado.
     O tio simplesmente disse:
     _Desculpas? Para que pedir desculpas? Eu tenho amigos na polícia. Eles me avisaram. Aliás, ali do prédio da polícia da para saber tudo a respeito de vocês. Eles disseram que tinha festa. Eu sou lá homem de precisar de convite para ir à casa da minha sobrinha?
     Ele fez isso por volta dos oitenta anos de idade. Grande figura masculina do modernismo, para não deixar de fora os homens.
     Agora, o meu comentário:
     Se o Brasil perder todas essas características e se tornar sujo, dando prioridade aos temas odientos, radicais, promíscuos e desrespeitar a grande maioria do seu povo, dará chance a tudo de ruim que possa acontecer.
     As memórias do país vão se perdendo como as filas para comprar comida durante a Segunda  Guerra Mundial, a Semana de Arte Moderna e os costumes liberais para as mulheres, onde a liberdade de pensamento era mais importante que essa promiscuidade sexual dos dias de hoje, quando o que se tem que enfrentar são as ideias que suprimem as liberdades individuais de ir e vir porque as moças têm medo de entrarem em ônibus para saírem, porque colocam conotação sexual na infância, porque ninguém pode ignorar o terrorismo, os discursos de ódio e a odienta vingança que já levou  outros países ao totalitarismo, porque as ideologias estão se tornando obrigatórias e essa é uma ideia perversa, enfim é hora de parar para pensar na Semana de 22.

     
     
      

     

sábado, 14 de outubro de 2017

Hora de Automação

Hora de Automação

Daqui a pouco, o verão
Chega, iluminador
Dessas cores que estão
Leves, de flor em flor,

Pleno de mansidão;
Régio compositor
Do hino de adoração
Desse domingo em suor.

Faz da sombra a paixão
Pelo dia em seu frescor,
Pelo tempo e a razão;
 É hora de automação.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Desdobrado

Desdobrado

Ninguém quer um resfriado,
Nem a si e nem ao lado,
E esse calor lá fora
A dizer que vai embora.

O casaco é dobrado,
O armário está cansado
De ser visto à toda hora;
É o tempo, o instante agora.

Se fosse o tempo um dado,
Fosse cronometrado;
O frio não se demora
Porque a chuva o desdobra.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Semovente

Semovente

A palavra foge,
Fica distante
E ainda sacode
O vento errante,

Que se socorre
De alto-falante,
E a calma move
Como farsante;

Vai, volta e chove.
Ecoa constante
O que à alma move
Num mesmo instante.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Um Hacker / Crônica do Cotidiano

 Um Hacker / Crônica do Cotidiano

     Hoje um hacker invadiu uma conta de email. O Google avisou prontamente e eu modifiquei a senha na hora, conforme as instruções do Google.
     Esse email eu tenho há muitos anos e é do Google. Até o dia de hoje não tinha sido descoberta a senha.
     Hoje, ao anoitecer recebi o email, que sempre recebo ao fazer o login no celular, algo diferente do computador, e como sempre faço, verifico o login e o aparelho usado para o login.
     Choveu e o sinal da televisão ficou instável. Estava dando uma olhada nos aplicativos do celular, quando recebi o aviso do Google.
     Não, dessa vez não fui eu quem fez o login. Notifiquei o Google e modifiquei a senha.
     O Google pede que eu desative alguns aplicativos. Ok, farei login apenas quando quiser usar alguns aplicativos.
     Ficarei desinformada.
     Não, não é o email do blog.
     O texto hoje é resumido. Bom feriado à todos. 

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Deus é Amor

Deus é Amor


Até que aconteça de novo,
O amor é o que salva esse povo
Repleto de necessidades,
Das mais humildes ansiedades

Que vem a ser um ano-novo
Até pão, manjuba, pirão e ovo;
Salvados das tantas vaidades
Nalgumas boas perplexidades.

A linha-guia é a fé que promovo,
O eterno Deus que é sempre novo,
Que chega a essas localidades
Distantes do que são as cidades.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Som Incomum

Som Incomum

Ponto em comum
São pontuações
E adequações
Para mais de um.

Senso comum
Feito em porções,
Que não as frações
De ideias nalgum

Belo cartum,
Mas em canções
Com ideações;
Som incomum.

domingo, 8 de outubro de 2017

O Que Fica / Crônica


O Que Fica / Crônica

     O que e por que fica como uma das melhores lembranças desse ano um almoço se um local pequeno e acolhedor, cujo prato do dia era arroz de frango, feijão e legumes cozidos. Um refrigerante e um café pequeno.
     Já procurei essa resposta por meses à fio. Estava naquele dia resfriada e entrei naquele restaurante porque as portas laterais estavam abertas, parecia que arejava a gripe.
     Não sei o motivo pelo qual simpatizei com aquele lugar. Estava até mesmo sem fome, mas depois que o arroz chegou à mesa, almocei bem e me senti bem.
     A dona do lugar era de origem italiana e quando percebeu que o arroz estava sendo apreciado, o feijão também, disse que os legumes fariam bem.
     Eu lembro, que mesmo resfriada, respondi em tom de brincadeira:
     _A minha mãe também dizia isso.
    Ela ficou contente e disse que mãe é igual em todo lugar.
     Peguei alguns legumes para ser gentil, mas o que não sai da memória é o arroz de frango e o feijão.
     Pensando bem, para um ano inteiro, essa lembrança é muito especial.
     Pensando bem, o ano não acabou e até pode ser que boas histórias possam ser contadas, mas esse arroz de frango com queijo ralado gratinado em cima, para enfeitar o prato, vem à tona volta e meia.
     Esse almoço lembrado há mais ou menos seis meses, por certo que tem alguma subjetividade inserida, o difícil é descobrir o seu significado.
     Tirei o dia para pensar nesse arroz, pensei em Deus, pensei que poderia haver uma pitada de saudosismo, mas não é nada disso.
     Para ser explícita, o arroz veio numa terrina de ferro, algo parecida com uma frigideira, saído do forno, o feijão numa tigela individual e os legumes separados noutra tigela.
     Posso assegurar que não era risoto, era arroz com frango desfiado com um molho aguado de tomates e parmesão.
     Qualquer dia vou até lá novamente, mas novamente não será como foi aquele dia e qual será o dia de fazer aquele prato ignoro.
     Com esse texto, é a terceira vez que comento sobre o assunto nos últimos dias.
     É isso o que eu quero, mas não sei o que é. Isso é o que fica. 
      

sábado, 7 de outubro de 2017

Identidade

Identidade

A pressa é para a juventude,
Acostumada à sua inquietude,
Porque tudo é para o futuro,
Mas quem o sabe e está seguro°

Um pouco de solicitude
Consigo mesmo é uma virtude;
Usufruir do tempo imaturo
Com boas ideias é bom auguro,

Sem deixar de ter atitude.
E mesmo em meio à vicissitude
Identificar-se ao que é puro,
Alegra o dia sem ser pão-duro.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Dia das Crianças / Crônica de Supermercado


Dia das Crianças / Crônica de Supermercado

     Acho que hoje eu comprei os pães na hora certa. Peguei fila e ouvi uma mãe sugerindo à outra mãe algo para o Dia das Crianças.
     A ideia veio de alguma igreja e foi muito bem idealizada.
     _Eu perguntei sobre o que dar ao meu filho no Dia das Crianças e disse que estava com pouco dinheiro. Ele respondeu um beijo, um abraço e uma carta de amor.
     Eu ouvi a sugestão e achei o presente caríssimo. Não é difícil para nenhuma mãe dizer que ama o seu filho. Escrever uma carta e pedir para que a criança guarde a carta consigo como lembrança do Dia das Crianças, é.
     As duas ficaram quietas e pensativas.
     _O que foi° Você não gostou da ideia.
     A outra respondeu que gostou da ideia e que pensava nas palavras adequadas para uma carta para o filho.
     A outra mãe hesitou ao responder alguma coisa, alguma frase adequada.
     Paguei os pães e vim para casa.
     Boa sorte para elas.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Continuamente

Continuamente


Uma visão diferente,
De óculos e em si contente,
É saber-se a colorir

Com música pertinente
E sentir-se persistente
Ao insistir num prosseguir.

Vê-se que há uma nova lente

Que mantém-se a ressurgir.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Cochichos


Cochichos

Conversas interrompidas,
Chamadas quietas, filtradas,
Esquinas controvertidas
Vivências delimitadas.

Reclamam pessoas sofridas,
Por todos cantos atadas
São as falas preconcebidas;
Ouvidas, quase isoladas,

 Mas ditas. Também benditas,
Por Deus mais dinamizadas,
Mostradas que são irrestritas,
Além das palavras dadas.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

O Inexplicável

O Inexplicável

Desconhecida humanidade,
Constantemente vivenciada,
Que não significa a amizade
Numa energia diferenciada.

Se acaso fosse uma saudade,
Tranquilamente constatada
Em dicionário de humildade,
Seria palavra publicada,

Mas nada disso é a realidade
Apalavrada e procurada,
Vinda do Espírito em verdade;
Entre o céu e a terra inexplicada.


segunda-feira, 2 de outubro de 2017

A Besta

A Besta

Se não é festa,
É uma selva
E o céu encrespa

Vendo a besta
Sobre a relva
Tão funesta,

E esse horror

Se detesta.

domingo, 1 de outubro de 2017

Maneirices

Maneirices

Esse dia caseiro,
Tranquilo e maneiro
Formou-se em agenda

A cumprir; dia inteiro.
Com sabor caseiro
Uma boa merenda

De pão com recheio,

Café, leite e prenda.


sábado, 30 de setembro de 2017

Interjeição


Interjeição

Seria o indizível
A sensação
Do que é sensível
E não é ilusão?

Intraduzível,
Numa impressão
Perfeita e crível
À boa razão;

Imperceptível
É a locução,
Assim possível
À interjeição!

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Porto Rico

Porto Rico

Cai a chuva abençoada
E molha esse chão
Seco e sem florada,
Sem trigo e sem pão.

Num mundo sem nada
Cada gota é grão,
Terra devastada
Entre o sim e o não.

Embora encharcada,
Falta água e feijão;
Em terra alagada,
A chuva é canção.

Ps. Antigamente considerava-se sorte tomar água de chuva desde que não caísse no telhado antes de vir ao pote.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Os Pensadores / Reflexão


Os Pensadores / Reflexão

     Porque eu não vou provar nunca que a vida funciona do jeito que eu penso, é muito esquisito que alguém pense que alguma teoria funciona para todos.
     Pelo menos, pode-se ler quem pensa diferente. Já li um ou dois livros, através dos quais senti-me frustrada com a história contada e com o desfecho imaginado pelo autor.
     Não concordo com todos os filósofos e também não vejo um motivo pelo qual me sentisse obrigada a concordar.
     Os sistemas são falíveis. Bom, pelo menos aqui eu posso comprovar com um exemplo: o meu celular entrou em curto-circuito e o sistema dele faliu, mas ele não queimou, o que foi ótimo. Gostei muito dele pelo fato dele apitar às duas da manhã, dentro da bolsa, mas constatar que ele não estava aquecido. Depois o celular ficou piscando como se fosse pisca-alerta de automóvel. Fui até uma loja e verifiquei que o apito e o pisca-pisca significavam que ele estava em curto. 
     Gostaria de elaborar todo um raciocínio sobre sistemas falíveis e seguros não fosse o fato de que outro celular tivesse que ser adquirido.
    Agora posso realizar uma teoria: Quando um sistema fali, o prejuízo é certo.
     As escolas dogmáticas têm métodos diferentes. Não existe um único método, mas sim um único conteúdo a ser ensinado.
     No dia a dia, no entanto, estudamos os problemas e as suas soluções. Infelizmente não encontro solução no silêncio. O silêncio é coadjuvante da música, mas a solução está na sonoridade adequada de um final de frase.
     Elaboro uma hipótese: se o celular não tivesse apitado, eu teria um curto-circuito ambulante ao meu lado e à tiracolo.
     Filosofia, dogma, sistema, falha de sistema e as soluções possíveis necessitam de anos de discussão.
     Um erro seria, nesse caso, afirmar que a solução da falha do sistema do celular está no dogma de que o sistema não falha? O sistema, no entanto, acha que é exato. O sistema é exato até a hora em que pifa.
     Eu só sei que tomei uma decisão: preparei o celular velho para jogá-lo no lixo com a bateria descarregada por completo.
     Nesse texto, não existe momento fragmentado, a menos que eu pise em cima do celular em curto-circuito, descarregado, que me levou a não blogar ontem.
     Aqui entra a consciência, que manda jogar o lixo eletrônico em lugar especializado nesse tipo de material.
     Com o problema resolvido, vamos à filosofia, às diversas correntes de pensamento, aos ideais possíveis, aos dogmas apropriados, à tudo aquilo que acontece independentemente da nossa vontade.
     Pensar ainda que tudo isso pode nos deixar mais ativos, mais pensativos e com vontade de deixar os acontecimentos do dia um pouco melhor, o que é possível, mesmo sem se ater ao que nos leva a isso; no caso um curto-circuito.
     
         

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Gira o Mundo

Gira o Mundo

O mundo é bola
Que gira e roda;
Ninguém é dono.

Nunca de agora,
Parada a bola,
Não tem mais jogo.

O dia é quem cobra

A noite e o sono.



segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Zás-trás


Zás-trás

O poema não veio,
Fiquei suspirando
Nesse devaneio.

Sem hora e sem recreio
O dia foi passando;
Rápido meneio

Útil nesse meio

Tempo se inteirando.

domingo, 24 de setembro de 2017

Rima Livre


Rima Livre

Rever, contextualizar,
Mexer, saber o que é um livro,
Páginas a se contar
Sem quebrar; papel não é vidro,

Embora possa espelhar
Uma frase de estribilho
Que não para a cirandar
Querendo ser trocadilho

De um reverso a se versar.
Andarilha sobre um trilho
Pelo qual precisa andar,
Esboça o dia num sorriso.
.

sábado, 23 de setembro de 2017

Bullying, na Fase Adulta, é Tortura - Reflexão


Bullying, na Fase Adulta, é Tortura - Reflexão 

     A frase não é minha, mas me pediram para refletir sobre essa frase.
     Para refletir é preciso utilizar conceitos e nos servimos da internet para esses esclarecimentos, conforme os conceitos abaixo:

     Bullying: Bullying é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos causando dor e angústia, sendo executadas dentro de uma relação desigual de poder. Fonte - Wikipedia
     Tortura: 
  1. 1.
    volta tortuosa, curvatura, dobra.
  2. 2.
    dor violenta que se inflige a alguém, sobretudo para lhe arrancar alguma revelação; suplício.
  3.   Fonte - dicionário da Web

     Posso concluir que o Bullying, na fase adulta, é uma tortura executada dentro de uma relação desigual de poder, sem fins objetivos,
     Posso concluir que, sob tortura, toda confissão é duvidosa.
     O Bullyng, enquanto tortura, visa a reação desfavorável do atingido contra os agressores, e isso faz com que a vítima acabe por retribuir a agressão e, em consequência da relação desigual de poder, seja considerada a vítima do Bullyng, o(a) agressor(a).
     Posso considerar que, alheias as imaturidades da juventude, na fase adulta, possa o Bullyng ser considerado tortura.
     As consequências para as vítimas do Bullying, os psicólogos não cansam de dizer.
     Mas eu tenho uma história interessante para contar.
     Certa vez eu encontrei com uma moça que eu não via há algum tempo e ela pediu para que me sentasse com ela e as amigas.
     Sentei-me e até mesmo as amigas dela ficaram constrangidas com o que ela disse. Como era de se esperar, eu fiquei aborrecida e saí de perto.
     Quando eu saí de perto, mas não do local onde estava.
     Sentei-me longe e a observei.
     Ela riu muito e pediu uma cerveja.
     Devo dizer que eu me senti bem por não tomar nada de álcool, porque a sobriedade me impediu de dizer coisas más e me sentir pior do que eu estava.
     Depois, ela tomou mais uma e mais uma. Enfim, acabou por tomar meia dúzia de garrafas de cerveja.
     O álcool subiu à cabeça. Ela começou a falar alto, tão alto que nem mesmo distante era impossível não ouvi-la.
     _Eu, eu é que deveria ter aquele sorriso cheio de esperança. Nunca ela! Por que é que eu tenho que vê-la se ela diz boa tarde e eu sei que a tarde é boa para ela?!
     Pensei comigo mesma, mais um pouco e eu vou-me embora daqui. Chega de vexame.
     Ela, de longe, olhava para mim e gritava que tinha se casado e que o ex-marido era um agressor, que ela protegia o filho dos cacetes que o marido dava. Dizia que tudo na vida dela tinha saído errado e que ela se sentia péssima como recepcionista e tratando bem um público nem sempre educado.
     Pensei comigo mesma: e eu com isso?
     Saí dali. Outro dia, quem sabe, o ambiente estivesse melhor.
     Passado algum tempo eu fui ao lugar, novamente.
     Olhei em volta e ela não estava por lá, um alívio.
     Eis que senão quando encontro com uma das moças que estava à mesa conversando.
     Ela veio conversar comigo.
     _Como vai você?
     Eu respondi que estava bem, mas com um sorriso magoado.
     Ao sorrir com mágoa, a moça se sentiu à vontade e disse:
     _Nós dissemos a ela que ela exagerou na bebida. Eu preciso dizer que você fez muito bem em não responder e se afastar da mesa. Ela é importante apesar de estar passando por uma fase difícil. Quando ela se recuperar, se você disser alguma bobagem, ela poderá se lembrar do que você disser.
     Enfim, é assim que o Bullyng funciona. Mas também é assim, que quando se aceita esse ambiente, você passa a ser torturado (a).
     Por gosto? Nem pensar.
     Existem tantos ambiente bons, conversas ótimas, amizades de conhecidos(as) que a gente encontra de vez em quando, que essas pessoas são dispensáveis numa convivência harmoniosa.
     Problemas são normais na vida das pessoas. O revanchismo ao Bullyng é uma atitude ineficaz e contraproducente, mesmo que a sua atividade seja menor que a do agressor(a).
     No que tange às vítimas, eu diria para observarem a vida dos agressores, mesmo que de longe. As vítimas perceberão que têm uma vida muito melhor que a deles, os agressores. Também acho que não é questão de poder, dinheiro, beleza, acho que é uma impossibilidade na vida do agressor possível na vida da vítima que os transtornam a ponto de praticarem o Bullyng, ou mesmo pelo prazer sadomasoquista, pelo qual os próprios agressores (as) encontram o caminho de sofrerem pelo que fazem.
     Eu não me nego a escrever o que sugerem, mas concordo que O Bullying, na fase adulta, é uma espécie de tortura.
     Levem as suas vidas, resolvam os seus problemas e sejam felizes.
     Agora, quanto ao meu sorriso, ele é discutido no livro: Mais do que um Carpinteiro, comum para os crentes e, sinceramente, ele é porque pensamos de forma diferenciada quando acreditamos no que lemos.
     Um bom final de semana à todos!
       

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Oração


Oração

Espere um momento
Com bom pensamento,
É assim que acontece.
Nada há que se apresse,

Espelha-se o tempo,
Deus é movimento
Que jamais te esquece.
Não custa uma prece

Que seja ao contento,
Um libertamento
Que se reconhece,
 E orando, emudece.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Tempo ao Tempo


Tempo ao Tempo

Se,saudade não tem tradução,
A coragem é a necessidade
Numa adversa justaposição
Imperfeita da contrariedade

Que é causada por um furacão,
Ou por trêmula excentricidade
Dessa Terra, sem explicação;
  A saudade fica à realidade.

O homem é ele e a sua mutação
Pela fé e essa força da vontade;
Quando tudo é regeneração,
A paciência requer a humildade.

  

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Nota

Nota

Esse tempo escasso
E o que fiz já faço
De novo, esse passo
Sem ter nervos de aço.

Desfiz o cansaço
E essa rima abraço
Num mesmo compasso
Nessa nota e laço,

Motivo que traço,
Frase que refaço
E desembaraço
 À canção, meu espaço. 



terça-feira, 19 de setembro de 2017

Poema Cantador

Poema Cantador


Toda palavra medida
Não consegue se encontrar,
É preciso quem a diga,
Quem a venha libertar.

A partitura bem lida
É começo sem findar;
A interpretação a convida
A sair, sorrir e a dançar,

Valorizando essa vida
Que a muitos é um sussurrar
Do que seria um paradigma
A seguir e se encantar.


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Maria

Maria


Jamais compreenderão
Nenhum espairecer
Porque sem percepção
É impossível ao ser,

Não importando o verão,
O modo de se ver
Numa sublimação
É o espelho ao anoitecer.

Tudo é suposição;
Cansativa ao chover
É toda a reflexão ,
Enigma a se saber

Onde sem ter razão
Projeta-se sem ler
A mais linda canção
Ao céu, ao léu, sem se ater.

domingo, 17 de setembro de 2017

À Noite Sonhamos

À Noite Sonhamos

Lua minguante,
Maré vazante,
Sonata ao Luar.

Um sol gestante
Segue-se adiante,
Canção de Ninar.

Chopin galante

Vem te acordar.

sábado, 16 de setembro de 2017

Oh

Oh

Esse dia longo
Foi um pernilongo;
Zum a zombar.

Mas não me alongo
E nem prolongo
A conversar;

Um monotongo

Há de bastar.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A Arte e o Ser


A Arte e o Ser

Artes, ambientes, texturas,
Outras configurações
Abandonam as usuras,
As velhas televisões

Com tubos, telas, gasturas
Guardadas, contradições
Antigas e desmesuras
Alheias às realizações

Bem feitas, de noções puras;
Enfim modernizações
Feitas por novas culturas
Somam multiplicações.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Além dos Museus


Além dos Museus


Basta a boa vontade
A quem confia em Deus.
A praticidade
De ser bom aos seus

Traz felicidade,
Bocados, pitéus
Da amabilidade
De um sol com chapéus

À sombra que agrade.
São esses camafeus
 Toda a imensidade
Além dos museus. 




       

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Soul Music/ Reflexão



Soul Music / Reflexão

     Tive a oportunidade de visitar uma loja de cds, o que por si só é difícil de encontrar.
     Conversei com o senhor da loja e ele mostrou vários cds, nacionais e importados.
     O Rod Stewart lançou um cd chamado Soulbook. Eu pebsei que ralvez essa fosse a chance de entender a soul music, ou seja, a música da alma.
     Resolvi me testar e comprei o cd.
     A primeira faixa do cd é a canção It's the same old song, de 1.965, que diz em alguns versos que a música é a mesma, mas o significado com o qual ela chega à alma é diferente.
     A canção conta uma história, mas o refrão é para valer. Eu a ouvi quando criança, quando jovem e, agora, madura.
     Quando criança, eu subi na penteadeira da minha mãe, fiquei em frente ao espelho e disse que queria aprender a dançar. Bom, ela teve que ficar olhando para cuidar do espelho, de mim e as risadas dela ainda ecoam nos meus ouvidos. Bons momentos.
     Quando jovem, era disco music, dia da discoteca juvenil.
     Agora, é soul music e fala à alma dos diferentes significados de uma mesma canção durante a existência e o consequente aprimoramento da alma.
     Abriram-se novas perspectivas à canção-religiosidade.
     As outras faixas do disco contém músicas, por assim dizer, da alguma época anterior, mas ainda assim, da minha época.
     Nessa experiência tentei colocar a canção em sua época e lugar de audição.
     Uma das canções eu lembre até da estação de rádio am, que tocava os sucessos da semana do meio dia à uma hora da tarde. Lembrei do monofone de ouvido e do rádio de pilha à hora do almoço. A outra orelha era útil para ouvir que eu não estava com modos certos à mesa.
     De jeito nenhum eu almoço com fones de ouvidos e rádio ligado atualmente. A música continua agradável, mas de outra maneira, outro horário e lugar. Essa música calma me fez pensar que naquela época eu não pensava que gostava tanto de música como hoje eu comprovo.
     Comprar cds numa época em que se usa pendrive-USB, mp3, cartão de memória com arquivos de música, onde se pesquisam na internet as diversas interpretações das mesmas músicas, é quase um absurdo.
     Nesse momento eu percebi que a alma era quem conversava com as músicas, dava outro significado a cada uma delas.
     Ouvi com atenção às letras e aos ritmos, aos arranjos e os meus ouvidos são outros, embora estejam nas mesmas orelhas, desculpem o trocadilho, mas foi o que aconteceu.
     Seja lá como for, essa compra, esse cd, está sendo uma experiência fascinante em termos de aprendizado musical e aprendizado para a alma que tem outras referências de vida no presente momento.
     Em resumo: acho que entendi o que é soul music e a intenção do cantor em bolar o disco.
     Se quiserem ouvir, não precisam comprar em loja física, podem procurar lojas que oferecem o download para o computador.
     Hoje eu deixo essa sugestão para vocês. 

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Sétimas

Sétimas

São rumos
De prumos,
Tensões

De insumos,
Resumos;
Tenções.

Noturnos,

Canções.


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Liberdade


Liberdade

Sensação de liberdade
É caminho que refresca,
Num lazer pela cidade
Onde, sem janela, há fresta

De diversa sociedade,
Perfeita faixa etária extra
De criança até essa meia-idade
Numa fonte de água fresca,

 Patinete à mocidade,
História de quem não pesca,
Espaço à sua vontade,
Seja mão canhota ou destra,

Triciclo e espontaneidade,
Com pedal, também palestra,
Piquenique em brevidade,
E, à sombra, pequena orquestra. 

domingo, 10 de setembro de 2017

Avenida

Avenida

A hora passa
Distraída
Em boa graça,

E se enlaça
Absorvida
À vidraça,

Onde abraça

A avenida.



sábado, 9 de setembro de 2017

Semelhante

Semelhante

Interessante
É se pensar
Um visitante,

Sempre passante,
Comum lugar
Determinante

De um semelhante

A caminhar.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Olha o Passarinho / Crônica do Cotidiano


Olha o Passarinho / Crônica do Cotidiano



     Um passarinho pequeno, cinza e com as asinhas marrons me viu e foi se aproximando dos meus pés.
     _Que graça de passarinho! Ele não tem medo.
     Resposta:
     _Em primeiro lugar quem não deveria deixar o passarinho se aproximar seria você. Um passarinho desconhecido, que não é bem-te-vi, pardal ou sabiá. Onde se viu um passarinho cinza de asas marrons? Deve ser piolho! Um passarinho sem medo! Onde já se viu isso,
     O passarinho deu mais uns passos em minha direção.
     _Você viu como eu tenho afinidade com passarinhos? Eu converso com ele e ele continua se aproximando,
     Resposta:
     _Pois é, esse é o problema: você conversa com passarinhos. Há algum tempo eu observo que você conversa com passarinhos. Devo observar, porém, que eles não respondem, eles piam. Ou, melhor dizendo, eles não sabem, não têm inteligência para saber que você está conversando com eles. Você tome cuidado para não pensar que os passarinhos te respondem porque eu posso pensar que você está imaginando demais.
     O passarinho pertinho de mim. Que coisa mais linda, exclamo>
     Resposta: Acho que você está saindo da casinha.
     Eu disse que não é porque eu não gosto de cachorro que eu não posso gostar de passarinho.
     Barulho, barulho, barulho.
      _O passarinho voou, reclamei.
     Resposta:
     _Para o seu bem o passarinho...antes de continuar, sejamos seres inteligentes: o passarinho chegou perto de você porque provavelmente você está sentada perto dos insetos preferidos dele. Ele veio aqui para lanchar e não porque você estava conversando com ele.
      _Bom, fiquei sem foto do passarinho.
     Ouço um bem-te-vi da janela.
     Fiquei sem a foto do passarinho cinza de asas marrons. 
        

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Charada

Charada

Se eu fosse quem fosse,
Talvez não fosse eu,
Nem mesmo agridoce,

Imitação doce
Daquilo tão seu,
Por mais que me esforce.


Nem se alvoroce,

Prefiro ser eu.



quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Individualizações

Individualizações

As pessoas não são iguais,
Mas foge à compreensão
Os tons individuais,
Essa desatenção

Aos bens espirituais
Da humana condição
Sem funções conceituais;
Tudo é continuação,

São os modos habituais
Feitos à influenciação
De estranhos com frugais
Belezas de ideação.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Estilo

Estilo

Não se impede o vento
Nem o pensamento,
A questão de estilo
Mostra-se no artigo,

Próprio movimento
Na cor do seu tempo.
Para alguns, abrigo,
Modo de vesti-lo,

Para outros meio-tempo,
Mero passatempo,
Liquidação à quilo;
Assim se lê um livro.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Cotidiano

Cotidiano

Seja roteiro
De um ano inteiro
O cotidiano,
Um meridiano

Bem brasileiro,
Bem seresteiro
E puritano,
Se não me engano.

Seja ligeiro
E verdadeiro,
Mas soberano
E muito humano.


domingo, 3 de setembro de 2017

Fé, Esperança e Caridade

Fé, Esperança e Caridade

Guarda a palavra que te salva.
Guarda-a, porém, com muito amor,
Faz dela a tua estrela D'alva,
O teu caminho de louvor.

Grave-a, decore-a sem ressalva,
Porque é perfeita em todo andor,
Todo lugar. Faz dela a clava
Do seu dia, Deus é salvador.

A fé é a esperança do dia que alva
Após o sono afinador
Que pertence à alma, na palavra
Da caridade do Senhor.   


sábado, 2 de setembro de 2017

Habitat

Habitat

Num mesmo cenário
Piam sabiá e canário;
Cachorros de raça
Passeiam na praça.

Lugar centenário
De igual corolário;
Como é estranha a garça
Quando longe traça

O seu mesmo diário
Na areia, que precário,
  É feito sem graça
Numa areia de praça.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Bom Descanso

Bom Descanso

Mexe e remexe,
Monta e desmonta,
Para e adormece.

O dia acontece
Sem se dar conta
Que bem merece

O que enternece,

Um livro e a prece.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Razonabilidade

Razonabilidade

Vontade de ver vitrine,
Ver algo que muito anime,
Espelhe alguma emoção
Que não a da televisão.

Não quero nada que mime,
Quero o que, quiçá,  aproxime
A imagem da introspecção
E não comprar nada não;

Uma observação sublime.
E esse instante que ilumine
Alguma imaginação;
Distraia essa minha razão.


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Ideias dos Bancos / Crônica do Cotidiano

Ideias dos Bancos / Crônica do Cotidiano

     Algumas ideias são bem vindas, principalmente quando essas ideias cuidam do seu bolso.
     Recebida a mensagem do banco, ao invés de acessar o site, fui até o banco.
     _Posso ver a mensagem?
     Pode sim, ela é o motivo de eu ter vindo até aqui.
     Ele pegou o meu celular e vasculhou as mensagens.
     Ele continuou com o meu celular nas mãos.
     Eu disse que achava que tinha vírus.
     Ele disse:
     _Está resolvido. Ele entrou na operadora de telefonia, do meu celular e pediu o download da proteção da operadora. Eu acho que não é vírus, mas não vamos facilitar.
     Eu não uso aplicativos bancários.
     Conversa vai, conversa vem e a conclusão foi óbvia: os aplicativos bancários deveriam apagar todos os conteúdos do usuário e permanecerem para serem baixados instantaneamente, à medida em que o usuário precisasse dele.
     Os aplicativos bancários jamais deveriam estar com um atalho na tela do telefone celular.
     Ter um celular não pode significar estar-se prisioneiro dele, tendo que o levar ao banheiro, não deixá-lo sozinho nas festas e cuidar dele como se fosse a segurança de uma agência bancária.
     _Eu não uso o aplicativo. Repeti.
     Deixe-me ver se no whatsapp não tem nenhuma mensagem interessante.
     Ele cuidou do que eu precisava saber.  

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Pés-no-chão


Pés-no-chão

Quando não há o que dizer,
Que seja a compreensão
Janela a devolver
Esperança à razão,

Cansada de se ver
Sem ser a solução,
Sem poder resolver
A dor em compaixão.

O pouco a se fazer
Alivia a quem tem não,
Ajuda a se mover;
Coloca os pés-no-chão.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Natureza Cronista

Natureza Cronista

Encontro a expressividade,
Dinâmica e jamais vista,
Com a naturalidade
Fraterna, e que assim persista

Em meio à essa calamidade,
Em meio ao ambiente derrotista
Precisa-se a humanidade.
Faz-se um quadro impressionista

De jacarés de verdade,
Um lagarto que é intimista
E corra-se da crueldade
À natureza cronista.

domingo, 27 de agosto de 2017

Finos Retratos


Finos Retratos

São valores abstratos,
Esses subentendidos,
Conexos de bons tratos
Dos tempos resolvidos

Em talheres e pratos
E discursos cingidos
Aos mais finos retratos.

Os espelhos polidos
dos sinônimos gratos
Permanecem substratos
De brilhantes benzidos.

sábado, 26 de agosto de 2017

O Que É Ajudar? Reflexão

O Que É Ajudar? Reflexão

     Será que as facilidades do mundo atual são causadores da falta de conhecimento do que possa significar a palavra ajuda?
     Se alguém perguntar o que é ajudar pode ser que alguém responda que é responder à moça do telemarketing que sim, que irão contribuir com a instituição de caridade para a qual a voluntária arrecada recursos financeiros.
     Ajudar pode ser tarefa um pouco mais complicada. Pode ser providenciar alguns salgados que sejam do agrado da família para o almoço. Pode ser ter arroz,  feijão e algum tomate para acompanhar a refeição, devidamente guardados na geladeira.
     Será que as crianças de hoje em dia arrumam as suas camas antes de irem para a escola? Arrumar a cama antes de ir para a escola era tarefa obrigatória entre as crianças. Na escola, as professoras elogiavam os pais que exigiam a cama arrumada porque ensinavam a ajudar a mãe. Essa tarefa não dependia de se ter ou não empregada mensal. A empregada era orientada a não arrumar a cama das crianças, pois era tarefa delas. E se não arrumasse a cama? A criança ficaria com a cama desarrumada até o dia da troca da roupa de cama.
     É óbvio que se pode aprender a ajudar sem segundas intenções, sem que se precise desembolsar nenhuma quantia. Ajudar é um hábito que faz bem.
     Tudo bem, hoje em dia não se tira mais os pratos da mesa porque os pratos já vêm em bandeja própria e a comida fica disponível no balcão da cozinha, mas a ajuda não caiu em desuso.
     Outro dia ouvi uma frase perspicaz e sábia:
     "_Com o tempo que o povo perde com o intuito de criticar uma pessoa eu faço uma semana inteira e ainda me sobra tempo."
     Criticar, é outra palavra erradamente vista como se fosse reclamar de algo apropriadamente errado, mas tem muita gente perdendo tempo  por nada e se prejudicando. Critica sem ter razão é jogar ao tempo um não - frase minha.
     É melhor ajudar os que estão próximos de si e cuidar ao receber ajuda de estranhos. Eu, novamente, não estou falando em dinheiro, estou falando sobre as circunstâncias que podem envolver esses desconhecidos. Espera aí antes de pensar mal! Outro dia eu estava cheia de pacotes e uma senhora ofereceu-se para carregar um dos pacotes e eu não aceitei. Eu não aceitei porque sei que ela fez cirurgia cardíaca. Essa vontade de ajudar, vinda dela, era para provar para ela mesma que ela poderia carregar peso.
     Também se for o caso, aceitar uma ajuda de vez em quando faz bem. Outro dia recebi com humildade e compreensão uma ajuda. Seria melhor que eu fosse em outro lugar ao invés daquele onde eu pretendia ir; o clima estava ruim por lá. Eu ouvi e não vi enchente nenhuma.
     O fato é que se interage o tempo todo com outras pessoas e essa troca exclusivamente humana é necessária.
     Ocorre que se está provido de excessiva atitude defensiva e essa atitude defensiva é normal porque o mundo está repleto de desgraças.
     Ajudar a quem está próximo é uma saída, favorece os relacionamentos interpessoais, propicia ao dia algum conhecimento e afetividade, traz ânimo e disposição. Até porque tirar os olhos do celular ou do computador descansa a vista.
     São atitudes simples que melhoram o ambiente, não é preciso que aconteça nada realmente sério, para que se ajude o que está próximo de si. É uma questão de vontade.
     Às vezes parece que as pessoas perderam o senso, mas desligar a televisão para conversar ainda é uma boa ideia. Conversar com os seus familiares, saber deles, usufruir um momento de domingo para saber o que pode ser feito por você mesmo.
     Eu sei que o domingo, para muita gente, é dia de orações. Nada impede que após as orações, ou antes delas, dependendo do horário em que se vai ao serviço religioso, haja uma boa conversa, um passeio e uma ajuda.
    Bom domingo!         
     
    

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

À Canção Feita


À Canção Feita

Conta e canta a partitura,
De um doce canto qualquer
Numa iluminada rua,
Onde diz-se ao bem-me-quer.

Quando longe da amargura,
O vento voa onde quiser;
Se saudade é uma frescura,
Pare ao tempo onde quiser

Porque a gíria era fissura,
Um quebranto de mulher,
E é esse tempo quem segura
Todo bem que se fizer.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Livros e Personagens / Comentário

Livros e personagens / Comentário

     Os livros nos ensinam a conhecer as pessoas.
     Vocês sabiam que nós, os cristãos, somos analisados pelos personagens bíblicos, pelos talentos e dons do Espírito Santo?
     Aprendemos com todas as experiências dos outros?
     As nossas respostas em relação aos ensinamentos e questionários são analisadas pelos professores.
     Recebemos a orientação de conversar com Deus para que não conversemos com pessoas nada interessantes sobre as nossas verdades.
     Um dos diálogos mais interessantes que tivemos foi sobre a certeza de que ninguém mais cometesse erros.
     A resposta foi maravilhosa: Quem pena acertar sempre, engana-se e o engano não vem da luz divina.
     E o que não está escrito ou analisado na Bíblia, perguntar-se-ia.
     Recebemos a orientação de aprendermos com os personagens dos livros. As pessoas contam histórias e nós as lemos e aprendemos com as experiências contadas pelos outros em livros.
     Porque, afinal, somos personagens da árvore da vida, a primeira árvore, aquela onde não houve o pecado.
     A árvore do pecado era a árvore do conhecimento.
     O conhecimento também fala e tem a língua bipartida do engano, o que nos leva ao erro.
     Ou seja, muito embora tenhamos o ensinamento de tudo o que é bom, vivemos no lugar que foi destinado ao ser humano depois do fruto do conhecimento. 
     O conhecimento das experiências dos outros e dos personagens dos livros podem nos levar aos enganos e consequentes erros simplesmente porque podemos acreditar nas histórias das experiências dos outros.
     Todos têm as suas experiências de vida e cabe a cada um de nós ter a sua.
     Existem diferenças entre aquele que erra e o que intencionalmente pratica o mal.
     Para nos mantermos em oração, o texto refere-se aos bons e à bondade existente no mundo.
     Espero que compreendam essa abstração.   

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Do Nada


Mudo a visão,
A direção
E sigo em paz.

Essa razão
É uma canção
Que me compraz,

Sem ter razão

Me satisfaz.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Outras Mulheres / Cadê o Fotógrafo?

Outras Mulheres / Cadê o fotógrafo?

Outras mulheres,
Sinceras, fieis,
Muitas colheres,
Costuras, viés,

Sois chanceleres
Das dores cruéis.
Meus afazeres,
Filtros, cafés.

Se compuseres
Foto e através
Delas, viveres,
Fareis resvés. 


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Repentinamente


Repentinamente

Num dia quente
De verão,
O que sente

Toda lente
À estação
É o fulgente

Sol silente,

De repente.

domingo, 20 de agosto de 2017

Sobre a necessidade das Igrejas e Agremiações Religiosas / Reflexão


Sobre a necessidade das Igrejas e Agremiações Religiosas / Reflexão

     Está na Bíblia a ordem para lavar a louça, começando pelos copos, os pratos, os talheres e as panelas. Está na Bíblia o ensinamento para não comer carne assada com mais de três dias. As normas são de Moisés ao povo escolhido.
     A igreja é grande auxiliadora na sanitização dos lugares. Ainda hoje se lavam louças em bacias. Não se usa a bacia de lavar louça para lavar roupas.
     As igrejas fazem bazares para arrecadar fundos para as suas obras assistenciais. São vendidos nesses bazares desde louça desparceirada até casacos de inverno. Mande para a lavanderia o que é para se lavar à seco, mas as roupas infantis devem ser fervidas antes de vestirem as crianças e idosos. Sei que as irmãs da igreja católica romana sabem esterilizar as roupas. Esse é um ensinamento antigo e se perdeu no tempo e a humanidade precisa aprender de novo.
     As roupas de festa podem ser vendidas em casas que alugam roupas para festas. O valor pago é irrisório, mas você estará ajudando alguém a ir bem trajado numa festa.
     Outro ensinamento bíblico é que Deus é fiel e não raro observamos essa frase em automóveis nas ruas da cidade. Esse ensinamento é que tem muitas utilidades. Vivemos um momento perverso no mundo atual. Contem aos seus familiares aonde vão e com quem irão porque se houver algum inimigo no meio do caminho, vocês terão a quem contar. Isso vale para o crente que vai ao centro espírita.
     Algumas agremiações religiosas oferecem cursos rápidos de corte e costura e culinária. Obedeça todos os ensinamentos de higiene e segurança com os materiais quando ninguém estiver olhando.
     Os regramentos de higiene, comportamento social e educação dentro de casa estão se perdendo e não é por coincidência. Sem querer falar em Teoria da Conspiração, há um interesse em seleção natural onde a inobservância dos cuidados básicos, extermina parte da população.
     São inúmeras as igrejas evangélicas e acredito que as dificuldades no dia a dia no que tange às necessidades sanitárias das famílias podem ser compartilhadas com os pastores e pastoras.
     Antigamente a lei era Olho por olho e Dente por dente. No Novo Testamento, Jesus Cristo substitui essa lei pela lei: Amai ao próximo como a ti mesmo. Por que ele substitui? Para evitar o sofrimento de uns para com os outros.
     Ele disse: "Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância". Significa que o não tornar mal por mal pode trazer fartura à vida de cada um.
     Esse texto é simples, mas diz da necessidade das igrejas às nações, para que as pessoas se unam ao menos para os bons propósitos.
     Porque as inteligências existentes no mundo não podem trazer paz de espírito e porque, conforme diz o apóstolo Paulo, são sinos que batem sem tocar, pois ausentes de caridade (amor ao próximo), pouco significam para o Todo Poderoso que criou tudo o que no mundo.
     A igrejas são necessárias pelas obras sociais, pela salvação do espírito através da santa palavra, pelo amor de Deus que anunciam ao mundo.
     Enfim, tirei o dia para ler e expor alguns pensamentos. Boa semana a todos.