Loading...
Loading...

sábado, 7 de maio de 2016

Mamma!


Mamma!



Porque não pode ser pago,
Lembra-te do que é sem preço,
Ama quem te sabe ao avesso
E de ti merece afago.


Criou-se um dia para esse abraço,
Quando todo dia é o seu apreço
Numa oração feita ao berço,
Saiba-te nesse retrato.


Lembra-te a louvar o passo
Mesmo quando foi contexto;
Cuida que a vida é o começo
Dado à luz, Deus em formato.

3 comentários:

Célia Rangel disse...

Delicado e sugestivo poema, Yayá.
Afinal, "todo dia é o seu apreço"...
Abraço e feliz dia!

Ivone disse...

Lindo! Feliz dia das mães!
Abraços apertados!

Jossara Bes disse...

Ternura e delicadeza!
Lindo demais!
Tenha um domingo muito feliz!
Beijo carinhoso!