Loading...
Loading...

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Não Tem Mercado / Crônica de Supermercado

Não Tem Mercado / Crônica de Supermercado

     Estava quieta na fila, quem começou o desabafo foi ela.
     Acostumada a ir a outro supermercado, a senhora reclamava muito do supermercado e dizia que não gostava de estar lá, mas era próximo à sua residência e ela não tinha tempo para ir a outro supermercado.
     _Lá é que era bom, eu me sentia bem. Agora é muito impessoal.
     Achei que ela não sabia a história do lugar e contei a ela sobre o outro mercado que ali abriram e fecharam como esse supermercado fechou.
     Aí ela contou com detalhes toda a vida dos supermercados naquele lugar. Ela gosta mais do espaço físico do que do supermercado por ele mesmo, pelas facilidades e ofertas apresentadas ao consumidor.
     Pensei comigo, não tem jeito. A única solução, para ela seria passear até descobrir outro supermercado ao qual ela se adaptasse.
     A senhora parecia ansiosa quando disse:
     _ Mas, se já tivessem construído um supermercado mais próximo eu não precisava estar aqui.
     Achei melhor não responder, não havia resposta adequada ao caso. Olhei para ela com um meio sorriso, desanimada.
     Ela resolveu confortar-se a si mesma e ao meu sorriso:
     _Há esperanças. Fui ao lugar onde era o supermercado e eles alugaram a sede para outra rede de supermercados.
     Ela disse o nome da rede de supermercados, mas garantiu que por enquanto, o prédio está em reforma e teremos que aguardar qual supermercado abrirá na vizinhança.
     Está bem. Estávamos na fila de um supermercado e ela querendo ir ao supermercado. O problema dela era supermercado? Não.
     Nesse ínterim alguém a chamou avisando a ela que havia caixa vago.
     Que diálogo difícil!

     

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Vê-se a necessidade de 'falar e ser ouvida' que passa o humano... Sua ótima crônica deixa isso muito claro: - o relacionar-se!
Abraço.

XicoAlmeida disse...

Coisas da vida real que nos passam ao lado.
Beijo.