Lugares Bonitos

Lugares Bonitos

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

O Caderno é Seu

O Caderno é Seu

clip_image002

As anotações nos cadernos escolares são por conta do aluno, os ensinamentos, não.

Não escreverei sobre aulas e cadernos, é feriado e no meu caderno está escrito que a lição de hoje é fazer de hoje um dia bom.

Feito criança escreverei sobre filmes. A gente pode e deve apagar a televisão, ou mudar de canal quando o filme não corresponde às nossas expectativas.

Num dia como o de hoje, feriado, é bom ouvir as crianças enquanto o silêncio da cidade grande se faz presente.

A televisão, nas mãos de uma criança, é mais um brinquedo.

São frases comuns de crianças que assistem a um programa de televisão:

_Não gostei.

Esse não gostou implica em mudar de canal tantas vezes quantas o controle remoto permite. Às vezes esse não gostou significa que a criança quer brincar com o videogame, ou sair para jogar bola, ou tomar um copo de água, ou qualquer outra atividade que lhe chame atenção naquele momento.

Apaguei a televisão e fui experimentar uma receita de bolo para o lanche da tarde.

Existem filmes que fazem mal à gente, não combinam com a nossa educação e nem com a nossa maneira de ver a vida. Outros filmes, por vezes, antigos, nos lembram das pessoas que estavam ao nosso lado quando assistimos ao filme, esse é um filme bom que, por melhor que seja, trará tristeza, é hora de não assistir a reprise. Existem filmes, ainda, que, por incrível que possa parecer nos causam nojo, são filmes que deveriam ser acompanhados das propagandas de sais de fruta para azia e má digestão.

Não tem sentido aproveitar o feriado para assistir um filme que nos faça mal.

Depois da parte da manhã patriótica (Desfile da Independência do Brasil), a tarde foi das escolhas de cada um.

Os filmes na televisão foram uma boa opção para quem não viajou.

Coincidentemente eu assistia ao mesmo canal de alguém das redondezas e, o filme estava me aborrecendo e eu não sabia o motivo.

Naquele silêncio todo, eu ouvi:

_O roteiro é ruim.

Bem que eu pensei no blog, mas fui fazer experiências na cozinha antes de ligar o computador.

As crianças mudam de canal, eu fui brincar de cozinhar. O roteiro era mesmo ruim e as falhas estavam visíveis. Desliguei a televisão.

Como é que eu não percebi o roteiro ruim? Eu acho que é porque eu assistia à televisão sem concentração ao filme que eu estava assistindo. Esse é um erro comum de muitos telespectadores. Às vezes, a gente liga a televisão para passar o tempo e, depois de assistir um filme ruim por dez ou quinze minutos, a gente acha que é perder tempo desligar ou mudar de canal, mas não é. A gente pode se comportar como criança nos momentos de lazer e nos dias de folga.

É obrigação procurar um lazer positivo e, se errar de canal, mudar, desligar a televisão, ir para a cozinha ou sair para passear.

Não é porque se é adulto (a), que podemos impedir que a criança, e um dia todos fomos crianças, queira se divertir, com inocência e alegria, sem cansar de procurar uma nova maneira de brincar, de procurar coisas boas para a vida da gente. Criança nenhuma procura ou se permite aborrecer por conta própria.

Eu acho que hoje aprendi algo de bom e de novo, um jeito diferente de fazer bolo.

2 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Bom dia
Desligar a TV até que eles aprendam a fazer informação, documentários, directos, etc.
A lição não pode ser mais oportuna neste tempo de campanhas políticas desinformativas e mal-cheirosas.
E mais não digo por eu já não vejo TV Há muito tempo.

Élys disse...

Valeu desligar a televisão. Aprendeu um jeito novo de fazer bolo.
Um abraço.