Loading...
Loading...

terça-feira, 17 de março de 2015

Poema Assustado

Poema Assustado

clip_image002

Gaguejo com medo

De tudo o que é absurdo.

Não se causa medo

Nem susto nem turvo.

 

Linguagem que arredo,

Evito e me furto;

Renega o meu credo,

Palavra que encurto.

 

Muvuca de enredo

Não se entra nem surdo.

Nem raiva ou folguedo

Compensa algum surto.

Nenhum comentário: