Loading...
Loading...

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Ilha

Ilha

clip_image002

Ainda posso cear,

O sol ainda brilha

Nesse caminhar

Sem atalho ou trilha.

 

Céu claro a azular

Num mar de mantilha,

De se suspirar

A flor que o pontilha.

 

Brando é o celebrar

Na paz andarilha,

No por que confiar;

Abre-se a escotilha.

7 comentários:

Élys disse...


Uma poesia com doce encanto.
Beijos, Élys.

Célia Rangel disse...

Em rico cenário natural como esse, só mesmo um tocante poema!
Abraço.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Yayámiga

Um bonito poema, simples mas singelo. Gostei. Gostei? Adorei.

Aproveito para te informar que na Travessa está desvendado o mistério do Honda 600...

Qjs

Luiz Cidreira disse...

É realmente uma doce poesia!

XicoAlmeida disse...

A magia do "lusco-fusco"!
Segundos de magia e turbilhão de sentimentos que misturam magia...
Abr

Ivone disse...

Que lindo, ainda por cima com belas rimas!
Amei ler amiga Yayá!
Abraços apertados!

ONG ALERTA disse...

Linda e leve, abraço Lisette.