Loading...
Loading...

terça-feira, 3 de junho de 2014

Minuano

Minuano
clip_image002
Parece que ecoa o minuano
Ao poncho de lã de carneiro,
Sotaque gaúcho e pinheiro
De laços e fitas de pano.

No entanto, é o frio curitibano,
Assim encolhido ao passeio,
Vontade a ficar de aperreio;
Pinhão, terça-feira sem dano.

Soletra em destaque esse engano,
De chiste ao ser aventureiro,
E come o pinhão de recreio;
Folclore de feira em todo ano.

2 comentários:

Sandra Stegues Silva disse...

Gostei de ver nosso vento Minuano, mencionada nessa linda e inspiradora poesia, amiga.

Beijos, e uma ótima quarta-feira!

Maria Teresa Fheliz Benedito disse...

Que lindo e doce esse vento Minuano.
Lindo seu poetar querida Yayá!
Um beijo em seu coração e agradeço sua carinhosa visita.