Loading...
Loading...

sábado, 26 de abril de 2014

Para Ler Atentamente / Crônica do Cotidiano

Para Ler Atentamente/ Crônica do Cotidiano.

clip_image002

Filas interessantes, mas o caso vexatório para a senhora acompanhada da filha à minha frente.

Ela foi fazer uma troca de produto tanto quanto eu.

O sistema recusou-se a fazer a troca para ela. Ela perguntou várias vezes por que e a resposta não estava no computador da loja.

Ela perguntou ao atendente se constava alguma dívida não paga por ela.

O atendente disse que não. O cartão de loja pertencente a ela estava bloqueado na loja.

A senhora disse que ela sabia qual era o problema.

O atendente perguntou se ela devia no cartão da loja.

A senhora contou que havia recebido um email dizendo que constava a dívida por não pagamento referente a uma compra e que ela ligou várias vezes para o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) e a resposta a todos os telefonemas era de que não constavam dívidas no CPF dela perante a loja. Ela não fez aquela compra, mas pagaria se soubesse o valor da dívida.

O atendente perguntou se ela havia consultado a SERASA (Serviço de Consulta a Pendências e Protestos) para verificar se havia alguma dívida no número do CPF dela.

Ela havia consultado a SERASA e o SEPROC (Serviço de Proteção ao Crédito) e nada havia contra ela.

Eu me meti na conversa e pedi a ele que chamasse alguém responsável pelo setor para atendê-la.

O atendente disse que chamaria o responsável pela troca de produtos, mas que o departamento de cobrança era terceirizado e que ele não liberaria o cartão de loja daquela senhora.

Ele me passou à frente da senhora e o meu produto foi trocado na hora.

A senhora olhou para a filha e disse o quão caro era ser correta e querer pagar as contas, ou, descobrir, ao menos que dívida era aquela.

O atendente sugeriu a ela que fosse aos cartórios para verificar se havia algum título de protesto contra ela. Perguntou ainda há quanto tempo ela se encontrava naquela situação.

A senhora respondeu que havia dois anos do email, dos vários telefonemas aos números indicados, das várias negativas de dívida no sistema da loja, mas que o cartão dela somente poderia ser liberado após a solução do caso, houvesse dívida ou não.

Ela ironizou o atendente e disse para mim que há dois anos ela compra todos os meses algum produto para tentar o atendimento que precisa. Ela não consegue cancelar o cartão da loja.

A loja entrou para a família dela, todos os parentes e amigos sabem da dívida fantasma que ela tem perante a loja.

Ela também se queixou que não consegue ir ao PROCON (Serviço de Defesa do Consumidor) sem provas o que de fato é constrangedor para ela. A loja nega a dívida, mas bloqueou o cartão dela pela dívida que não existe.

O fato é que não saberia como defendê-la junto à gerência, ela precisaria de um advogado para ajudá-la nessa situação.

Eu me despedi dela desejando boa sorte a ela e contente por não ter o cartão da loja.

O atendente me retrucou na hora dizendo que eu tenho o cartão e está válido, o uso do mesmo está a minha disposição.

Ele me pegou de surpresa. Olhei a tela e vi que estava tudo em ordem.

O meu cartão tem muito tempo e ainda não o utilizei e essa foi uma boa ideia.

Aqui entre nós, que situação absurda!

Se alguém souber do que fazer nesses casos, que faça uma postagem no seu blog e divulgue no Google mais, penso que será de utilidade pública.

3 comentários:

Rita Sperchi disse...

Bom dia de domingo!

•⊰✿❝Nosso coração deve ser simples, porque só os simples sabem dividir. •⊰✿❝

* Pe. Fábio de Melo *


Com essa bela frase agradeço sua amizade
deixo meu abraço carinhoso
E desejo uma semana de muita paz
Bjussss
Rita!!

Cidinha disse...

Olá, amiga. Parabens pela Crônica! Tudo isso que ocorreu, não está longe de acontecer no nosso dia a dia. È um momento muito constrangedor e lamentável para quem passa por isso. Obrigada por partilhar! bjos e boa semana.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Os velhos e cotidianos problemas com cartão de créditos! Resolvi abolir, e já não tenho esse tipo de aborrecimento.Saco o necessário para as despesas a fazer...e pronto!
Uma semana produtiva, nas Artes e escritas...Um beijo, Yayá.