Loading...
Loading...

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Sobre a Complexidade da Existência da Alma/ Filosofando…

Sobre a Complexidade da Existência da Alma/ Filosofando

clip_image002

O ponto comum entre as diversas correntes do pensamento humano é a existência da alma, com diversas denominações tais como espírito, dentro da vida.

Considerada como o meio da comunicação com o divino nessa existência, ela tem a função prática da manutenção da condição espiritual do homem enquanto animal racional que é.

A alma de cada um, no entanto, desenvolve o seu relacionamento particular com a existência extracorporal, chamada divina por livre arbítrio.

O mistério da existência divina é então revelado ao ser humano conforme a sua ligação com Ele, respeitadas todas as características individuais de cada um.

Interessante é observar que o relacionamento individual com o ser divino dificilmente pode ser transmitido de forma satisfatória de uma pessoa para outra pessoa.

Dessa forma, temos a partícula divina não revelada e sem contato com as dificuldades humanas, mantendo-se num plano superior ao da condição humana.

A alma existe independentemente da vontade humana, muito embora o ser humano possa buscar o contato com a situação divina de acordo com a sua vontade.

O contato da partícula divina com o humano ocorre nesse plano superior e nem sempre entra em contato com a vontade humana em particular.

Esse contato divino com o humano se fosse possível a sua tradução física, explicaria algumas relações interpessoais de afeto não conduzidas por nenhuma vontade humana, mas conduzidas pelo amor entre os seres humanos. Não digo dos amores catalogados e familiares a essa condição como o aperto de mãos e a convivência social.

A condição divina da alma permite o inesperado reencontro de almas distantes, bastando para tanto que essa condição de amor exista dentro da alma nesse seu relacionamento particular com a existência divina.

Assim acontecendo, o que é para ser triste, pode ser bom, dependendo da disposição da alma em contato com a partícula divina, que, em última análise, determinará a experiência e o seu reflexo no plano físico.

Não existe relatividade no contato divino, existe a determinação divina diante das circunstâncias encontradas no plano físico da condição humana.

Diante da busca humana, a condição divina decide.

2 comentários:

ricardo alves / são paulo,brasil disse...

bravo!!!

Jossara Bes disse...

Oi Yayá,
Profunda reflexão! A existência humana e os mistérios que nos inquietam.
Felicidades para você!
Beijos!