Lugares Bonitos

Lugares Bonitos

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Há Males que Vem para o Bem / Crônica de Supermercado

Há Males que Vem para o Bem / Crônica de Supermercado

clip_image002

Estava na fila do supermercado, época de supermercado lotado, gente cansada e preocupada com os presentes a serem trocados com os familiares e amigos.

Maridos e esposas combinando a hora de passearem em frente às vitrines, crianças pedindo guloseimas e atentas ao Papai Noel, além dos enfeites e tantos outros motivos de distração para toda a família.

A conversa era o Natal, a ceia e os familiares.

Os repositores bem dispostos e repondo os produtos com satisfação.

Próximo à fila chegou um daqueles repositores conduzindo o seu comboio de refrigerantes.

O chão tremeu.

Pensei que fosse impressão minha, mas não; ao movimentar do comboio o chão da fila tremeu.

Não pude conversar com ninguém, todos estavam devidamente ocupados com as festas.

O senhor que estava próximo disse que o piso estava trabalhando.

Acontece que o piso é laje e, não sei se deveríamos sentir o chão do piso tremer como se fosse uma casa de madeira trepidando à passagem do caminhão na rua.

Não entendo de engenharia, mas tem muita gente dentro de um supermercado e, o fato, deveria ser averiguado.

Digo deveria, porque qual dos clientes irá sentir o chão tremer com o carregamento dos refrigerantes? E, quando algum funcionário irá notar?

Realmente foi uma situação sui generis. Eu também estava nas minhas compras natalinas. À minha frente havia por volta de cinquenta pessoas, não era o momento de falar.

Por fim, a situação ficou entre eu e o senhor que conversava com algum familiar por telefone.

Ambos nos afastamos daquele lugar no piso.

Não é bom que os fregueses se sintam numa ponte pensil dentro de um supermercado.

Saí do supermercado, preocupada. Não comigo, mas com todos os outros fregueses.

Configurar a situação pela qual eu e o senhor que estava próximo a mim não será fácil.

São situações que não nos dão a oportunidade necessária para o diálogo.

Espero que o senhor que estava à minha frente esteja com a razão.

Tomara que seja o piso trabalhando e que o fato seja possível numa estrutura construída para a frequência de milhares de pessoas e diariamente.

Estou escrevendo o acontecido, mas, na primeira oportunidade, quero demonstrar o fato para algum funcionário.

Hoje não era o dia propício, festas e animação não combinam com a necessidade de verificação do piso.

E precisa!

3 comentários:

Célia Rangel disse...

O "consumir" em primeiro lugar! Como diz você, Yayá em um momento desses, jamais o "responsável" pela segurança das pessoas tomará posição... Há metas de lucro a atingir, ainda que em detrimento das pessoas...
Abraços natalinos,
Célia.

Sónia M. disse...

Quando era mais nova ( 6 ou 7 anos), alguém me disse uma frase, que só muito mais tarde entendi "és responsável por aquilo que vês".

Este seu texto de hoje, mostra a boa formação que a Yayá tem como pessoa.
Gostei.

Boas Festas!

Abraço

Sónia

Jorge Gil disse...

Quando houver uma desgraça, fazem um inquérito e pronto! Sempre festas felizes!