Loading...
Loading...

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O Casamento de Rosália / Conto

O Casamento de Rosália

clip_image002

Rosália estava noiva e havia marcado o casamento para dali a um ano. Contratou a festa, comprou o apartamento em conjunto com o noivo, escolheu o modelo do vestido e mandou confeccionar.

Três meses faltavam para a festa, quando ela entrou no elevador no prédio onde ficava o escritório onde trabalhava. Foi naquele dia que ela conheceu Ivan.

Ivan iniciava as atividades no escritório de contabilidade. Ele havia comprado a sala comercial depois de muita economia e, finalmente, conseguiu montar o escritório com o fichário repleto. Teria como se sustentar.

Enquanto ele, entusiasmado, contava a ela dos seus negócios e pedia a ela que divulgasse o seu nome, ela sentiu um arrepio. Era como se tivesse achado o homem ideal.

Ele contava das suas atividades e pressentiu a personalidade dela, meiga e gentil. Achou a conversa atraente e ficou com vontade de conversar depois.

Ela estava noiva e usava a aliança na mão direita. Ele queria aquela amiga como amiga, não se importando se ela iria se casar, chegou a desejar felicidades para ela.

Não passou um mês e eles namoravam.

Ela, como que parecendo embriagada, decidiu-se conforme a vontade lhe dizia.

Foi assim que dois meses antes do casamento desmanchou o noivado sob os protestos da sua família. O noivo saiu em viagem para abafar o mal estar entre os parentes e os amigos.

Rosália deixou o apartamento comprado para o noivo e disse a ele que pagasse a parte dela quando pudesse, pois o sentimento que a possuía era maior do que tudo que ela havia sentido até então. Do noivado, ficou com o vestido de noiva.

Por incrível que possa parecer, Ivan era possuído do mesmo sentimento. Ao saber que o vestido de noiva estava pronto, pediu a mão de Rosália em casamento.

Ivan e Rosália se casaram uma semana depois da data do casamento previsto anteriormente. Viveram um mês em plena felicidade.

Eles trabalhavam no mesmo lugar e tinham amigos comuns.

Passados seis meses, os amigos comuns chamavam os dois para saírem. Pelo menos no começo. Depois chamavam os dois separadamente para as reuniões de confraternização.

Passados dois anos, Rosália e Ivan tiveram os seus desentendimentos passageiros.

Passados quatro anos e meio e eles não entendiam como e porque haviam se casado. Ele se sentia responsável por ela e ela por ele, mas gostariam de viver as suas vidas com maior liberdade, sem terem ambos que prestarem tantas satisfações um ao outro.

Por fim separam-se. Ele foi ousado e saiu com outra pessoa. Rosália ainda o respeitava. Sentiu-se traída.

Ele havia saído com uma mulher, mas não a havia traído.

Rosália sentiu como se a outra fizesse o mesmo papel que ela fez quando se conheceram.

Não conseguiam viver juntos e em paz, como uma família.

Ivan deixou Rosália no apartamento e comprou um para ele.

De vez em quando ele a visita para resolverem os problemas comuns e visitar o filho que ambos amam.

Voltou o respeito e a amizade.

Rosália e Ivan vivem para a criança, mas não para eles mesmos.

Ela teve namorado e ele teve namorada.

No entanto, aquela sensação que sentiam um pelo outro nunca mais sentiram.

E eles sabem que sentiram o que não sentem mais.

Como não conseguem explicar o que se deu entre eles, preferem ser sós.

Santificaram o amor que um dia existiu.

3 comentários:

✿ chica disse...

Que triste fim para um amor que já começou traindo alguém ,agora eles mesmo se traem ,nos sentimentos! beijos,chica

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Uma história de amor que começa mal e acaba pior.
O amor não está apenas no que parece mas na vida interior que nos liga e que cria raízes.

Muitas pessoas se casam e são felizes algum tempo mas depois a saturação afasta-os e tudo serve de pretexto para desentendimentos.

Sobram os filhos que acabam sendo vítimas de mais um casamento falhado.

Élys disse...

Uma história que teve um mal começo e com o passar do tempo perdeu o seu encanto.
Beijos.