Loading...
Loading...

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Discurso da Independência

Discurso da Independência

 

7 de Setembro de 2013

Senhoras e senhores, na data de 7 de setembro comemora-se a data da Independência do Brasil, proclamada por D. Pedro I no dia 7 de setembro de 1.822.

O significado desta data nos dias de hoje é a proposta desse discurso.

A partir da Independência, o Brasil passou a ter governo próprio regido pelas leis elaboradas dentro do território nacional.

O Brasil é um país independente ainda hoje.

Conservamos os poderes constituídos e independentes entre si dentro de um estado laico em pleno funcionamento harmônico com a sociedade.

Contornamos a crise dos protestos de forma democrática e evitamos as interrupções dos cumprimentos das regras institucionais a contento, lembrando que protestos ocorreram pelo mundo e que, em alguns países, o desfecho infelizmente, foi triste.

Até mesmo a imprensa foi questionada nos últimos tempos, ela que é chamada de quarto poder. Todos nós somos responsáveis pelo que escrevemos e respondemos pelos textos. A imprensa, igualmente, não está acima dos questionamentos, mas também não está aquém da sua própria defesa. Estes são os nossos tempos.

Independência, no entanto, não significa a promiscuidade e a leniência com os interesses ou conveniências, pois requer a responsabilidade de cada um dos cidadãos, legitimamente possuidor das suas capacidades sociais, em relação à sociedade como um todo.

Penso que este é o momento para pensarmos no país no qual vivemos e no que podemos melhorar.

É o momento de verificarmos as necessidades dos investimentos em infraestrutura, respeitando a soberania nacional, mas permitindo, com limites pré-estabelecidos, a entrada do capital estrangeiro para a coparticipação onde forem necessárias as melhorias para a geração de empregos e desenvolvimento urbano.

O Brasil não é um país submisso a uma única ideologia e o pluripartidarismo precisa ser defendido. Se, acontecimentos políticos têm nos aborrecido, cabe somente a nós a mudança, com votos. Não nos esqueçamos de que os políticos espelham a população que o elegeu.

Valorizamos a nossa Independência na medida em que defendemos os nossos valores e os nossos princípios com liberdade. A defesa da liberdade é ato contínuo e pacífico, na grande maioria das vezes, e é praticada por todos os segmentos de sociedade que vê no seu país a sua nação, o seu povo e a sua cultura múltipla dentro do ideal de respeito das diferentes formas de conduta cívica na sua convivência democrática.

Quando amamos a nossa Independência e a nossa pátria, agimos de maneira a preservar os direitos e as garantias individuais, direitos perpetuados na nossa Constituição Cidadã.

Ao amarmos a nossa independência, cultivamos a consciência cívica que nos faz corresponsáveis pelos destinos do país. E, sendo, corresponsáveis por este destino, que incentivemos os estudos de ciências políticas e dinâmicas sociais positivas, para que entre os jovens, surjam líderes, que sigam a carreira política sem ter do que se envergonhar.

Para finalizar, homenageio a D. Pedro I, porque teve a coragem de ser músico, quando era Rei.

7 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Yayámiga

Hoje sou eu que assino na nossa um texto intitulado Sermão do Lázaro. Aviso desde já que o texto não deve ser lido por damas, meninas, solteiras, casadas ou viúvas, cavalheiros com menos de 98 anos e máximo 99, integrados na ordem democrática vigente, e com sólida formação moral e cívica. Aqui deixo um excerto.

Teodósio acordou rouco. Rouco? Rouquíssimo. E o sermão? Nisto meditava quando se dirigia à igreja paroquial e por isso disse com decibéis negativos ao sacristão Jaquim. Como iria ser? Ninguém o entenderia com aquele falar roufenho. Uma desgraça!

Qjs

Henrique

aluap disse...

Excelente 'post' Yayá, em que mostra a grandeza da história do Brasil.
Aqui, o Estado acabou com o nosso feriado da Independência (1 de Dezembro) e também com o da Implantação da República (5 de Outubro) :-( por isso espero e desejo que vocês continuem a comemorar essa data, pois os feriados fazem parte da cultura de um povo.

Abraço e óptimo fim de semana.

Ingrid disse...

perfeito!..
beijos e um bom findi..

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Viva a independência dos povos e nações de todo o mundo.
Ser independente é ser livre.
Ser independente é ser responsável e construtivo deixando o país melhor para os vindouros. Melhor leis e melhores sistemas sociais - educação, saúde e cultura...

Célia Rangel disse...

Em pé aplaudo seu manifesto, Yayá! Fico com a mensagem: "Ao amarmos a nossa independência, cultivamos a consciência cívica que nos faz corresponsáveis pelos destinos do país. E, sendo, corresponsáveis por este destino, que incentivemos os estudos de ciências políticas e dinâmicas sociais positivas, para que entre os jovens, surjam líderes, que sigam a carreira política sem ter do que se envergonhar."
Bj. Célia.

XicoAlmeida disse...

Parabéns Brasil!
País irmão que honrada e orgulhosamente se vai transformando para um país melhor no dia-a-dia.
Remando contra ventos e marés, na afirmação de suas crenças, fé e direitos adquiridos.
Um orgulho para mim português, o sentir verdadeiramente como povo irmão.
Abraço, Yayá.

edumanes disse...

Exemplo de grande inteligência!
Hoje comemora-se no Brasil
A data do dia da sua independência
A 7 de Setembro de 1822, não em Abril!
Para todo o povo brasileiro, irmão de Portugal, desejo a sua feliz continuação neste mundo maravilhoso!

Boa noite, bom fim de semana e um abraço para você, amiga Yayá.
Eduardo.