Loading...
Loading...

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Cada Uma / fábula popular…

Cada Uma / fábula popular...

clip_image002

Essa história eu ouvi de passagem, como se fosse sem querer, e, provavelmente foi sem querer, mas querendo ouvinte.

E foi sem falar comigo, como deveria ser.

_Você sabe como é que se mata um sapo? Alguém perguntou para outro alguém.

Eu ali, na fila. Nunca brinquei com sapos na minha vida. Pelo menos, dos grandes, eu ficava longe.

Esse alguém continuou:

_Posso te contar a história de como se mata um sapo?

O outro alguém disse que sim, mesmo com fisionomia de desagrado, adivinhando que a história seria nojenta.

O outro então contou a história.

_Você coloca o sapo dentro de uma panela com água fria, mas com tudo que o sapo possa gostar. O sapo fica ali na boa, sem preocupações. Depois, você liga o fogo baixo. Como o sapo está se divertindo, ele pensa que o sol aqueceu a água. Não imagina que é o seu fim. Entendeu?

O outro alguém disse que sim.

A história foi nojenta e ei o olhei com seriedade.

_Você também entendeu? Perguntou-me com o olhar.

Eu disse que sim.

Sabem o que ele fez? Disse:

_Ótimo. Ponto final e não se fala mais nisso.

Sei que não consegui comer nenhum biscoito durante as duas horas seguintes. Que história?!

Se alguém souber se essa história tem autor, que me conte.

7 comentários:

Mar Arável disse...

Também já ouvi um cego dizer

Ceguinho é o cão

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

Siempre me ha encantado leer fábulas,un placer estimada amiga, un abrazo.J.R.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Não sei se há outro autor, mas esta fábula tem vindo a terreiro politicamente, para mostrar a todos nós o que a CEE e o respectivo governo de Portugal tem andado a fazer.
Primeiro dão-nos uns banhos e depois de nos amolecerem na água cozem-nos a todos com as politicas ditas de austeridade...

Quando o povo quer saltar e sair da água quente já não tem forças nem músculos que lhe permitam fugir da tragédia.

Mª Carmen disse...

Hola amiga, un placer volver a visitarte trás el verano,Feliz semana. Besitos.

Evanir disse...

Hoje postei um texto meu queria
muito ver seu comentário,
pois de vez em quando
rasgo aquilo,
que esta dentro do meu coração gritando.
A minha felicidade é saber a opinião
de pessoas como você.
Com longos anos com blog procurei levar paz e muito amor
costumo também falar do amor de Deus por todos nós.
Eu passei e paço por momentos graves mais nada
nesse mundo tira minha alegria e vontade de viver.
Foi fácil querer bem você sua simplicidade
com seus comentários tão carinhosos
acariciando meu coração.
Tenho um lindo dia abraços , Evanir.

Célia Rangel disse...

Ecaaaaa... ainda bem que li depois do almoço... Olhar pra panela no fogo agora será um grande desafio!!
[ ] Célia.

XicoAlmeida disse...

Yayá,
Bom será nem conhecer o autor, existindo ele, desta morbidez.
Mas "sapos" há que na vaidade e luxúria pessoal, nem se dão conta do definhar.
Um abraço.