Loading...
Loading...

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

O Atrapalho

O Atrapalho

clip_image002

Claudete fora convidada para a festa de sexta-feira no restaurante. Essa festa seria comemorativa aos casais que completassem dez anos de casamento.

Planejou se arrumar no salão de beleza de sua confiança, queria um penteado especial para a ocasião. O seu marido Roberval trabalharia até às sete horas da noite, tomaria banho e vestiria terno; pronto ele se transformaria num homem elegante. Ele levou o carro da família para não se atrasar para o jantar.

Claudete saiu conforme havia planejado, mas na saída do salão quis pegar um táxi para voltar para casa. Ônibus seria ruim para o seu penteado.

Na rua não havia táxis e ela decidiu caminhar em direção à sua casa contando encontrar um carro livre no caminho.

Andou oito quadras e conseguiu o seu táxi. Atrasou-se meia hora nessa caminhada, mas planejou como se vestir rapidamente para não perder a hora da festa.

Chegaram juntos Roberval e Claudete em casa. Felizes correram para o chuveiro. O chuveiro estragou ao ser ligado.

Com o único chuveiro da casa estragado, Roberval correu ao supermercado e comprou outro para substituí-lo. Cada casal tem as suas especificidades e quem trocava o chuveiro com rapidez naquela casa sempre fora a Claudete.

Com a ajuda de uma escada ela fez o serviço em quinze minutos sem estragar o penteado. Ele demoraria meia hora para fazer a troca caso ela o obrigasse a isso para preservar a arrumação do penteado.

Arrumaram-se e saíram.

Pegaram o congestionamento na rua que dava acesso ao restaurante. Foram dezesseis quadras em uma hora, mas não tinham condições de seguir a pé com roupas de festa.

Chegariam atrasados, mas compareceriam à festa.

Entraram no restaurante como se fossem vitoriosos por estarem lá.

Para o espanto deles, eles formavam o único casal feliz da festa.

Claudete estranhou o rosto sem graça dos convidados e perguntou a um dos casais presentes se algo havia acontecido porque ela acabava de adentrar o recinto.

A senhora gentilmente respondeu:

_O dono do restaurante e o DJ que faria o som ambiente discutiram, estamos sem som. Tentamos trazer um aparelho de som para cá, mas não temos autorização para tocar sem as licenças obrigatórias para o evento.

Roberval disse que não via problema. Se todos conversassem, a festa seria animada.

_Um cachorro da raça Pitt Bull fugiu da casa dele e, por pouco ele não avança para um dos casais convidados.

Roberval e Claudete conversaram, e assim concluíram que se foi por pouco, então o problema foi evitado e não teriam com o que se preocupar.

_Ocorre que o ataque foi evitado com o cassetete do segurança que deu algumas pauladas no cachorro. O dono do cachorro, que procurava por ele nessa região, abrirá queixa contra a atitude do segurança.

Roberval disse que provavelmente haveria um advogado entre os convidados para ajudar o segurança.

_O segurança está no hospital. Levou duas mordidas do cachorro. O pronto-socorro veio e o levou para o hospital. A senhora da limpeza limpou agora a pouco a mancha de sangue no chão.

Claudete perguntou se eles suspenderiam o jantar, o que seria compreensível nesse caso.

_O dono do restaurante não pode adiar o jantar porque os pratos foram feitos e o gasto também. O jantar será servido em seguida.

Roberval e Claudete sentaram-se numa mesa para dois e jantaram. Comeram alguns doces de sobremesa e vieram embora satisfeitos com todos os atrapalhos que tiveram para chegarem ao local. Tivessem chegado minutos antes e não ficariam para o jantar no restaurante de qualidade, que pelo acaso havia se transformado numa espelunca naquela noite.

Chegaram a casa deles cansados e foram dormir. O sono correu solto até o amanhecer do dia seguinte.

2 comentários:

Evanir disse...

Com muitas saudades depois de uma pequena ausência
estou voltando para agradecer seu carinho comigo
eu entendo ,que a amizade é eterna quando somos amigos de verdade.
Nessa ausência pude compriender o quanto
sua presença enche minha vida de esperança.
Esta sendo difícil passar por mais essa fase
da minha vida.
De sorte a minha fé é inabalavel por maior ,
que seja minha luta procuro ser cada dia mais forte.
Eu ainda não sei de onde vem minha força,
mais acredito , que vem do Alto Dos Céus.
Onde as estrelas e os anjos me cobre de paz e de luz
restaurando assim minha vida.
Com muito carinho deixei um premio na postagem
caso gostar leve por favor.
Deus abençoe seu final de semana.
com carinho e minha amizade pra sempre.
Beijos no coração e na sua alma.
Evanir.

Célia Rangel disse...

Puxa vida hein... que comemoração de bodas de estanho?!!
Bj. Célia.