Loading...
Loading...

domingo, 21 de julho de 2013

Poema Sutil

Poema Sutil

lclip_image002

O momento é que pede passagem

E madura o seu fruto que espera,

Acolhido em verde folhagem

Que o protege de tola quimera.

 

O desígnio é o que altera a paisagem,

E através dos sentidos libera

O perfume de vida na aragem,

Através do espírito que pondera.

 

Do arredio dia se fez a paragem,

Ao sabor da maçã que supera

Esse ardil calafrio com coragem,

Sabedora ao sutil que se esmera.

Um comentário:

Mariazita Azevedo disse...

Assim somos nós - protegidos, pela folhagem, das agruras da vida.
Mas o tempo não pára...e a realidade surge quando menos esperamos.
Gostei!

Obrigada pela presença na minha «CASA».

Uma semana feliz.
Beijinhos

Mariazita