Loading...
Loading...

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Dizendo O Que Eu Acho…

Dizendo O Que Eu Acho...

clip_image002

Não são os outros que acham isso ou aquilo e dão palpites, eu também acho!

Eu acho que as cadeiras de rodas das crianças especiais deveriam obrigatoriamente ter cores infantis, rosas e azuis, flores nas camisetas das meninas e carrinhos nas camisetas dos meninos. O uniforme azul é o mais bonito, ainda gosto imensamente da cor azul, mas pode ser verde ou de outra cor, mas colorido.

Ainda achando, acho que as crianças especiais têm a infância diminuída com tantos profissionais adultos e necessários para a apoiarem e ficam esquecidos os doces de leite, de amendoim e as marias-moles do recreio. Elas têm direito a uma nutrição saudável, mas acho que a infância dá direito a balas de goma com bichos e, até mesmo monstrinhos. Eu acho horríveis crianças comerem dentaduras de goma, mas algumas desistem dos biscoitos nos supermercados por um daqueles pacotes. Eu acho que as crianças especiais têm direito ao pacote de balas de goma em formatos diversos.

Tem uma dessas escolas perto da minha casa e não raro vejo a saída da escola, crianças contentes e alegres, mas poderia ser melhor. Elas podem aproveitar a infância sem tantas responsabilidades, além daquelas obrigatórias como exercícios físicos, aprendizagem, nutrição adequada, etc.

Eu sei das dificuldades dos pais para educarem essas crianças num meio social adequado, mas festas infantis com palhaços e brincadeiras poderiam acontecer de dois em dois meses, bem planejadas para que tudo dê certo.

Eu acho, e desta vez, prometo que pararei de achar, que ninguém quer uma infância menor. Tudo bem que a vida, às vezes obriga ao amadurecimento precoce, mas, se a gente puder evitar, essas crianças serão adultos completos, tiveram infância.

8 comentários:

Walkyria disse...

"Dar presentes é se dar de presente, para que o outro lhe guarde consigo.
O presente é fantasia, aquela alegria que se quer dar,a alegria que,ainda que por um minuto ,
queremos ser na vida de alguém ."
Faço minhas estas palavras de Rosiska Darcy de Oliveira, para oferecer a você o selo/Prêmio Dardos.
Passe no "Voar longe" para buscá-lo.
Beijoo.

Célia Rangel disse...

Evidentemente, Yayá você está coberta de razão... Infância é o período que fica para sempre em nossa mente. E, quanto mais o "brincar" estiver presente, mais lhe trará a dignidade de um adulto feliz e realizado. Difícil é vermos nossa infância amputada e transformada em "adulto em miniatura" com agenda e "n" compromissos hoje, que poderiam muito bem ser postergados. Tenho certeza.
Bj. Célia.

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Convivi com essas crianças, ditas especiais", bem intensamente, durante cinco anos, na década de 1970. Sempre procurei tratá-las como dentro da "normalidade".
Dou-lhe razão: todas precisam ter infância alegre, sem discriminação.

"Mal" comparando: é que nem a "cota" para alunos de escola pública e negros, nas universidades públicas... "Acho" que é discriminatório. Afinal, todos somos iguais, ou não?

Um beijo, Yayá,
da Lúcia

lis disse...

Oi Yayá
Toda criança merece sim ,uma infância colorida e alegre.
Texto de professora , muito bom.
saudade de vir aqui,
deixo abraços

Sandra Subtil disse...

E achas muito bem. Ser diferente não é deixar de ser criança e ter infância.
Beijinho

aluap disse...

Boa Noite Yayá.
Acho que este seu texto faz-nos perceber que nem todas as crianças têm momentos coloridos e não falo só de brinquedos, palhaços e gomas, mas momentos de alegria, liberdade e despreocupação própria da infância.
Abr./aluaP

La Gata Coqueta disse...



Palabras e ideas que brotan del techado como un susurro y son tan dulces que se parecen a un beso...

El que te envío en este instante, para felicitarte e fin de semana y seguir cultivando en armonía la semilla de la cordialidad, que se alimenta del rocío de las estrellas…

Atte.
María Del Carmen



Graça Pereira disse...

E eu acho...que tu estás completamente certa e apoio-te com todo o carinho.
Beijocas
Graça