Lugares Bonitos

Lugares Bonitos

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Flauteando

Flauteando

clip_image002

Onde mora o coração de Pã,

Mora a flauta e o seu aprazível sopro

Feito infância ao se acordar manhã,

Fresca maçã a madurar o ponto.

 

Nesse gosto de provar maçã,

Fruta madura, de encanto novo;

E há esse dia que surgirá amanhã,

Vibra a harmonia e fere-se o desgosto.

 

Pela luz da nostalgia pagã

Todo o mito se faz tira-gosto

Porque estamos nessa era cristã;

Sopra a flauta, vem cantar a gosto!

15 comentários:

Célia Rangel disse...

Nem sempre o canto que entoamos afina-se na orquestra da vida...
Bj. Célia.

Luna Di Primo Cafe Poetico disse...

dá vontade de sair cantando, mesmo...bjuuu

Simone MartinS2 disse...

Boa noite...Sim, vamos entoar nosso canto, vamos dançar e ouvir lindas melodias de tua flauta, que de magica, tornará melhor nossos dias...Adorei, abraços

Mona Lisa disse...

Vamos entoar o canto da vida, tentando que esta seja de alegria.

Beijos.

Jossara Bes disse...

Bom Dia, Yayá!

A música ilumina e eleva o espirito!
Lindo poema!
Tenha um ótimo dia!
Beijos!

Graça Pereira disse...

Um poema cheio de fantasia e frescura.
Adorei!
Beijo
Graça

OceanoAzul.Sonhos disse...

Poema com melodia, adorei!

abraço
cvb

aluap disse...

Deu-me vontade de cantar e comer uma maçã!

Abraço

Tatuagem disse...

Rima Genial!

Abraço

Elisa T. Campos disse...

Seu poema sempre encanta
Soa como uma canção.

Adorei
Bjs

Imaginário disse...

Pã, manhã pagã?
Amanhã, que será da maçã cristã?
Gosto ou desgosto?
Vontade e canto, novamente.
Lindo, Yayá. Parabéns.
Gilson.

mfc disse...

Um poema musical e bem disposto!

poetaeusou . . . disse...

*
*
A flauta de Pã, filho de
mercúrio e Driope,
o multiplicador dos pastos,
e dos rebanhos, um Belo Post !
,
conchinhas, deixo,
*

Luiz Alfredo disse...

A mudanças dos mitos
são trocados e tocados
como as notas da flauta
o mito do pã
é tão envolvente
que foi recantado
em vosso poema
e traz um questionamento
envolvente
por que este mito permanece?
por que a poeta o fez verso?

sei que ficou muito belo
o poema e o tema.

Luiz Alfredo - poeta

Elisa T. Campos disse...

Gostei do seu flauteando
Me senti tambémm entoando.

Bjs