Loading...
Loading...

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Previsão

Previsãoclip_image002

Bom é observar o futuro,

Melhor seria conservar

O agora. Para um prelúdio,

Preciso do hoje ao luar.

 

O estar solto ergue um refúgio

Preenchido ao nada se dar,

Mas doar-se cria um aqueduto

Que liga o feito e o sonhar.

 

Passado é fato e conteúdo

Que roça no hoje a coçar,

Lembrando do ontem, o fuso

Horário, prá não voltar.

 

Presente é dia que, maduro,

Entrega aos poucos o andar;

No passo urdido e profundo,

Nas horas duras do agá.

19 comentários:

Marly Bastos disse...

O que dá pra prever de tudo isso é que o amanhã, amanhã será hoje e o hoje amanhã será ontem... O tempo não pára, e essas horas ingratas levam-nos juntos com o passado. E o futuro só nos cabe prever, se for numa bola de cristal, ou pela fé em Deus e que nossas orações serão respondidas.
Adorei a fluência do seu poema, e a forma que brincou com as palavras nessa previsão.
Beijokas doces.

Ma Ferreira disse...

H de hoje..o que temos de mais real e o hj. Mas muitas vezes nos pegamos ao passado q ja passou ou no futuro que nem sabemos se ira chegar!!

Bj

Ma

luiz gustavo disse...

a lua desapareceu do céu



a tarde
em fiapos se esvai
e escrever é uma forma
de espantar este tédio


os nós dos sonhos
são os acasos
da noite


o ocaso
entre o cosmos
e o corpo celeste:


- é crepúsculo ou ócio -


é tudo o que sinto
neste instante
nenhum músculo
me (co)move


muito mais a míngua
que a alma
dita sorve


onde (re)nasce o alvor
desta face
que se faz trégua


para ser carcomida
que não se entrega
ou quase nada


como um peixe fora d’água
é farinha de osso mauro


e sob grossas lentes
esta engrenagem
gangrena e turva


como a tarde (ex)tensa
a arder em cadência
marcha lenta


veja: nas ruas este pó
se despedaçar
em pedras


onde as pedras
se servem de um mar
de lágrimas


o mesmo mar
que se enerva
lá onde a onda vaga
e se entreva


e são vagas as ondas
a açoitar o tempo
como o vento tresnoitar
os sonhos


ah ! os sonhos !
passam: a espuma e a névoa


quebram-se na calva areia
já cansada


do vai-e-vem do vem-e-vai
das águas desta tarde
inacabada


são trevas sobre os trevos
de três folhas no jardim
lá de casa


nenhum de quatro folhas
pois como sempre
estou sem sorte


( os pássaros passam os ácaros )


acordo nesta ausência
e tudo é claro e ácido
e está ao alcance:


inclusive a morte
(r)adiante


sem dó nem piedade
de nós mesmos
feito abantesma


entre os cancros
dos ramos dos álamos


súbito: um olhar pela porta
revela o âmbito
das estrelas


- e são mais do que pedras -


como o mármore branco
que emoldura o rosto
desta tarde que resta
tão serena ainda
em queda

Ingrid disse...

tempo inquieto..
beijos linda!

Artes e escritas disse...

O Luiz postou um poema, quanta honra, prezado blogueiro. Vou te visitar. Um abraço, Yayá.

Célia disse...

O ontem é o meu alicerce de vida no presente marcando as horas para o futuro!!
Abraço, Célia.

Aclim disse...

Quem me dera saber o amanhã, mal sei o hj.

Tuas sabias palavras me encantam

Abraço amada

。♥ Smareis ♥。 disse...

O tempo não para...Mas amanhã também é o hoje.O futuro é mistério. Bom seria decifrar antes de vir. Beijos e ótimo fim de semana.

Smareis

MARILENE disse...

Realmente, é no presente que vivemos e é a ele que devemos dedicar nossa atenção.

Bjs.

Marina-Emer disse...

…Con todo el cariño que por
Medio de este mundo mágico
Del ordenador te tengo te deseo
Feliz fin de semana.
Un cordial abrazo
Marina
***ESPIGAS DEL ALMA III***

Ivone Poemas disse...

"...Passado é fato e conteúdo

Que roça no hoje a coçar,..."

Lindo, é mesmo assim!!!

Parabéns!!!Seu lindo poema toca a alma!!!

Ivone poemas
henristo.blogspot.com

Andressa disse...

:)

Waliff Bruno disse...

Bom dia Yayá!
Hoje não vim comentar seu post, apesar de esta ótimo!
Venho so pra falar que eu fico muito muito feliz quando vc comenta um post meu. Obrigadão Yayá.

Maria Luisa Adães disse...

Gostei da forma como escreveu,
Gostei dessa ternura do dizer,
gostei de a encontrar
ao fim de um tempo,
mas eu tenho estado de férias
e assim gastei meu tempo.

Espero a encontrar de novo!

Um beijo,

Maria luísa

Jorge disse...

Gostei do poema e do poema do luiz gustavo também.

Valdeir Almeida disse...

E quando se conserva o passado feliz, ele se reproduz sem os inconvenientes da rotina. Renova-se sem perder a essência.

Abraços.

Luís Coelho disse...

O passado, o presente e o futuro.
Nem sempre poderemos programar o futuro mas se o estudarmos no presente e o soubermos viver então conseguiremos pelo menos estar preparados para as adversidades.

Maria disse...

Amiga lindissimo poema. Para mim o importante é viver o melhor possível o Hoje, pois o futuro é uma grande incerteza, quando o amanhã chegar logo veremos o que tem para nos oferecer.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria

Evanir disse...

Muitas Vezes Deus Tira Alguem Que
Amamos Tanto.
Mais Esse Mesmo Deus Traz Alguem
Que Aprendemos Amar..
Por Isso NÃo Devemos Chorar
Pelo Que Nos Foi Tirado
E Sim ..Aprender A Amar O
QUE Nos Foi Dado ..
Nada Que È Nosso Vai Embora Para Sempre.
A Você Com Muito carinho um
feliz Domingo (DIA DOS PAIS)
Beijos No Coração.
Evanir