Loading...
Loading...

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Música–Poema

Música.

Música, musa da antiguidade

Reina absoluta sobre os sentidos,

Cura e afeto para os combalidos,

Moto-perpétuo da mocidade.

Doce vento da perenidade,

Sombra invisível dos tempos idos,

Lumes em claves de sol; sonidos

Para chegar à sonoridade.

Faz-se vibrante, esparge pelo ar

Leve som, signos breves e afáveis.

Rimas são mínimas, tempo arte.

Move-se o fá, o si, sons mais graves,

Graça, conquista em sóis memoráveis.

Ode e canção, ritmo a bailar.

Nenhum comentário: